Mais uma reviravolta na política brasileira, e agora é em favor da democracia e do ex-presidente Lula. Em decisão inédita, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Teori Zavascki, determinou que todas as investigações relacionadas ao ex-presidente Lula, sejam direcionadas ao STF.

Moro perde influência e poder

A decisão coloca em xeque o que os governistas intitulam de golpe na democracia do estado de direito. Lula fora nomeado como Ministro Chefe da Casa Civil, porém, essa ainda não será sua ocupação. A transferência do investigação não diz respeito à nomeação de Lula.

Mesmo assim, o ex-presidente acaba de ganhar foro privilegiado, contrariando muitos que buscam, através do #Impeachment, desestabilizar o governo.

Publicidade
Publicidade

O STF é o maior órgão jurídico no país e é responsável por investigações relacionadas a diversas pautas, sendo uma delas, a política.

Além disso, o ministro foi incisivo em sua fala sobre a conduta do juiz Sérgio Moro da ''república de Curitiba", como o ex-presidente Lula o citou em conversas divulgadas pela Rede Globo.

Sérgio Moro tem até dez dias para justificar a divulgação das ligações envolvendo a presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O ministro disse ainda que as escutas foram divulgadas de forma indevida e que sua conduta deve ser justificada. Ainda ressaltou que o conteúdo das gravações não possuía nenhum caráter denunciativo, e que, mesmo se o assim tivesse, o juiz estaria impedido de divulgá-lo prezando pelo segredo de justiça.

Lula, ao receber foro privilegiado e ser julgado pelo STF, não deve ser considerado uma fuga do juiz Sérgio Moro, segundo os manifestantes que apoiam o governo Dilma.

Publicidade

Ao determinar que o órgão de maior representatividade do exercício da jurisprudência brasileira julgue o ex-presidente Lula, está sendo garantida a coercibilidade da justiça e sua isenção, que deve ser mantida por todas as esferas que representam o poder judiciário no Brasil. O juiz Sérgio Moro vem sendo acusado de parcialidade nas investigações das operações Lava-Jato, que já dura dois anos em mais de vinte e cinco operações. #Manifestação #Lava Jato