Desde a última quinta-feira, 3, a vida de #Lula não tem sido nada fácil. Tudo isso por que após a revista 'Isto É' revelar que Delcídio citou o ex-presidente e Dilma em sua delação, o petista foi conduzido pela #Polícia Federal para depor na 24ª fase da Operação #Lava Jato. Segundo nota, Delcídio negou sua delação após repercussão.

O sábado, que deveria ser para que o 'companheiro' e os militantes esfriassem a cabeça, foi marcado por diversas outras polêmicas envolvendo o nome de Lula. Para começar, a deputada comunista do PCdoB, Jandira Feghali, manifestou, mais uma vez, sua simpatia e apoio ao petista, entretanto, um vídeo publicado pela mesma com a intenção de apoiar e fortalecer a imagem de Lula, acabou se tornando viral na internet por mostrar o petista dizendo: 'Eles que enfiem no cu o processo'.

A comunista havia anunciado que o ex-presidente estava conversando com Dilma e que estava tranquilo, entretanto, as imagens mostram ele muito exaltado com a conversa.

Publicidade
Publicidade

Ao que tudo indica, as imagens foram gravadas instantes antes da coletiva de Lula na sexta-feira, 4, e pouco depois de ser liberado do depoimento que durou quase quatro horas.

Além disso, repercutiu nas redes sociais e meios de comunicação nacionais, uma proposta de delação feita por Pedro Corrêa, que está preso pela Lava Jato e Mensalão. O ex-deputado informou que Lula sempre soube do Petrolão e que este, por sua vez, começou em 2004 e foi o responsável por financiar o Mensalão.

Segundo o preso, sua proposta inclui cinco provas de envolvimento de Lula com o esquema de corrupção. Se as declarações forem aceitas e comprovadas, Lula pode ser preso.

Como se não bastasse, a imprensa internacional continua divulgando a condução compulsória de Lula para depor, mostrando que a 'Era da corrupção' no Brasil está começando à desmoronar.

Publicidade

Grandes nomes do PT, como Rui Falcão e Eduardo Suplicy, também saíram em defesa de Lula, referindo-se ao mesmo como 'presidente'.

Gilberto Gil e outras celebridades de menor expressão popular, também demonstraram apoio à quem eles chamam de 'responsável pela democracia do Brasil'. Mesmo sob criticas, Lula falou em discurso que não descarta a possibilidade de se candidatar à presidente em 2018.