Os desdobramentos das manifestações que tomaram conta do país já podem ser percebidos em várias instâncias. A sede pela punição da corrupção toma forma e contextualização, através de inúmeras denúncias, que envolvem dezenas de políticos.

Após o povo tomar as ruas com suas manifestações contra a corrupção e a favor da democracia, nesta terça-feira (22), foi a vez de Manaus protagonizar uma ação importante no combate a corrupção. A ação veio também mostrar que a justiça não é parcial e que, além dos políticos do Partido dos Trabalhadores (PT), os demais partidos também possuem políticos corruptos.

Pauderney é acusado de desviar verbas através da secretaria da educação de Manaus.

Publicidade
Publicidade

Em uma decisão inédita, o Tribunal de Contas do Estado, o TCE, condenou o atual deputado Pauderney Avelino (DEM - AM) por superfaturação e corrupção no estado do Amazonas. O deputado é líder do partido no governo e um defensor assíduo do processo de #Impeachment. Pauderney também já divulgou textos e vídeos contra a corrupção atacando o PT, porém dessa vez, foi o político do DEM que fora condenado.

Deputado Federal condenado pelo TCE defende o impeachment da Dilma Rousseff

Pauderney é um dos defensores do impeachment da Presidente Dilma Rousseff. O político defende a moralidade e, com seu discurso de ódio, protelado por acusações que não foram provadas em nenhuma instância jurídica, pede o afastamento da Presidenta. O mais curioso é que o político que esboça ser contra a corrupção no Brasil é condenado por superfaturamento e irregularidades, que coloca em xeque um líder do Democratas.

Publicidade

O partido é considerado um dos três mais corruptos no país, com dezenas de políticos indiciados por crimes contra o poder público.

O TCE realizou uma auditoria na prefeitura de Manaus, onde foram descobertas irregularidades nos contratos realizados pelo deputado, enquanto era secretário de educação da prefeitura. O deputado alugou prédios para serem utilizados por escolas e, após a auditoria realizada pelo TCE, foram detectados superfaturamentos nos contratos, além de irregularidades como falta de documentos necessários para a locação de espaços pela autarquia municipal, como a falta de regularização do imóvel junto à prefeitura e o Corpo de Bombeiros. #Manifestação #Lava Jato