Guilherme Boulos, líder do "Movimento dos Trabalhadores Sem Teto" e da "Frente Povo Sem Medo" fez uma revelação que certamente deixará o clima ainda mais tenso nesta semana que será decisiva para o futuro do país. De acordo com Boulos, os movimentos sociais que estão sob sua coordenação não aceitarão de forma alguma que haja o #Impeachment da presidente #Dilma Rousseff e que se isto acontecer, a situação vai se agravar.

"O Brasil será incendiado por greves, ocupações e mobilizações, não havendo um dia de paz no país", revelou o líder.

Ainda de acordo com Guilherme Boulos, existem hoje muitos setores do mercado que estão crentes de que irão conseguir tirar Dilma da presidência e darão início às tais reformas estruturais necessárias ao país, mas que ele não deixará isto acontecer, juntamente com aqueles que fazem parte dos movimentos e que vão incendiar o país com greves, mobilizações diversas, travamentos e até mesmo com ocupações, levando às últimas consequências de forma que o Brasil não terá mais paz.

Publicidade
Publicidade

As afirmações são preocupantes e foram ditas durante uma coletiva de imprensa que revelou os atos para os protestos na semana passada. Muitos destes protestantes foram até a sede da Rede Globo, em São Paulo, onde protestaram contra a emissora afirmando que ela não estava sendo imparcial na cobertura dos fatos e que estava incentivando a derrubada de Dilma.

A situação do governo Dilma é cada vez mais delicada e esta semana o PMDB estará decidindo se abandona ou não a parceria feita com o PT. Um dos maiores partidos do país poderá mudar radicalmente o percurso da história dependendo da decisão tomada nos próximos dias. No caso dos peemedebistas abandonarem de vez o barco do PT, poderá trazer problemas não só para a estabilidade de Dilma, como do próprio partido, já que não há uma grande maioria apoiando tal decisão.

Publicidade

Renan Calheiros, presidente do Senado, tem tentado voltar a ficar mais próximo do governo, mas outros integrantes do partido afirmam que este é o momento certo para abandonar o PT e fazer com que o PMDB volte a seguir seu próprio caminho. #Protestos no Brasil