Delcídio do Amaral não tem dúvidas: Lula da Silva e #Dilma Rousseff sempre souberam dos esquemas de #Corrupção que ajudavam no financiamento das suas campanhas, ao longo dos anos. Em uma longa entrevista à revista “Veja”, o ex-senador do Partido dos Trabalhadores não teve problema nenhum em admitir o que se passava no partido, assegurando que era Lula quem comandava e Dilma acabou até por herdar o esquema à volta das campanhas e da diretoria da Petrobras.

“O Lula comandava o esquema. O Lula negociou diretamente com as bancadas as indicações para as diretorias da Petrobras. A Dilma também sabia, mas fingia que não tinha nada a ver com o caso.

Publicidade
Publicidade

Dilma herdou e se beneficiou diretamente do esquema, que financiou as campanhas eleitorais dela”, concluiu Delcídio do Amaral, que, no final do ano passado, acabou sendo detido por uma tentativa de dificultar, ao máximo, as investigações relacionadas com a Petrobras.

Tal como informa o site “Sapo”, em uma resposta clara às acusações graves feitas por um dos antigos membros do PT, o atual Governo informou à imprensa que vai avançar com um processo contra o ex-senador p, por causa das informações que Delcídio do Amaral deu às mídias brasileiras e que, segundo o Governo brasileiro, são somente “caluniosas e difamatórias” o que justifica o avanço judicial contra Delcídio do Amaral.

No momento em que o #Impeachment de Dilma Rousseff está sendo cada vez mais discutido pela mídia e por todos os brasileiros, principalmente os que se estão manifestando nas ruas, Dilma e Lula estão tentando, ao máximo, limpar a sua imagem pública que, à medida que os dias estão passando, está sendo cada vez mais prejudicada, sobretudo em termos internacionais.

Publicidade

Na verdade, a mídia, fora do Brasil, faz questão de qualificar essa crise política brasileira como uma “crise do regime”, que, além da política, envolve enormes problemas econômicos e sociais. Apesar de milhões de brasileiros estarem, atualmente, pedindo a demissão de Dilma, a Presidenta já fez saber que não tenciona abandonar o seu cargo, garantindo que o que está acontecendo no Brasil não vai provocar nenhum "golpe" e que conta com a ajuda de Lula para unir outra vez os brasileiros.