Em um evento na noite desta sexta feira, dia 04, na quadra do Sindicato dos Bancários, em São Paulo, o ex-presidente #Lula, foi ovacionado com um ato de desagravo pelos militantes petistas, que ali compareceram para prestar apoio e solidariedade ao líder petista. O ato foi organizado como uma forma de protesto e de resposta do #PT e do próprio presidente diretamente ao juiz Sérgio Moro, condutor da Lava Jato, que ainda neste sexta, conduziu o petista, mediante, ato coercitivo para depor na PF. 

A deflagração da vigésima quarta fase da Lava Jato, na qual Lula teve que esclarecer fatos sobre os imóveis no Guarujá e em Atibaia, que supostamente seriam de sua propriedade, foram suficientes para provocar a ira e a agressividade do partido do ex-presidente e de seus simpatizantes.

Publicidade
Publicidade

Num comportamento agressivo, típico de um líder sindical, Lula parece ter despertado novamente esta sua faceta. Exercendo o seu melhor papel de vítima, Lula não poupou críticas à atuação do juiz Sérgio Moro e sua condução na operação executada pela PF. Segundo o petista, o ato de Moro foi uma provocação banal  e desnecessária. Lula se disse ofendido e estendeu esta atitude como ofensiva também  a seu partido e ao estado democrático de direito. 

Lula diz que foi sequestrado dentro de sua casa pela Polícia Federal

O ex-presidente, ao explorar o fato, afirmou que foi sequestrado pela PF de dentro de sua própria casa, quando os policiais, cumprindo determinação de Sérgio Moro, tiveram que conduzí-lo, em cumprimento de um mandado de condução coercitiva, para depoimento na própria PF. 

Lula convoca a todos os militantes irem para as ruas

No melhor estilo de líder das massas, Lula fez uma convocação a todos os integrantes do PT que se disponham a irem para as ruas como forma de protestar contra as supostas 'ofensas' que tanto ele quanto o PT foram vítimas.

Publicidade

O ex-presidente colocou-se à disposição para iniciar uma série de viagens pelo país, como forma de mostrar que o partido ainda está vivo, assim como ele e que podem reagir frente aos insultos recebidos.

Estiveram presentes ao evento alguns políticos e membros do governo, tais como o ministro do Trabalho, Miguel Rosseto e das Comunicações, Edinho Silva e os senadores Humberto Costa e Lindberg Farias, ambos do PT. Todos vieram prestar apoio a Lula e também foram unânimes em criticar a atuação da Justiça, em especial, o juiz Sérgio Moro. Eles afirmaram que Lula foi o único dos presidentes que deu total liberdade ao Ministério Público (MP) e que nunca afrontou a democracia brasileira. Eles criticaram a atitude da PF, na qual vários homens foram mobilizados para escoltar uma única pessoa que sempre esteve disposta a prestar todo o tipo de esclarecimento perante a Justiça. #Corrupção