A delação premiada do senador Delcídio do Amaral (MS), a qual aponta Luiz Inácio #Lula da Silva e a atual presidente Dilma Rousseff como suspeitos de envolvimento na crise que desencadeou a operação #Lava Jato, segue rendendo novos fatos. Acusado pelo ex-líder do governo no Senado de ter papel decisivo aos pagamentos ilícitos realizados a Nestor Cerveró, ex-diretor da área internacional da Petrobras, Lula garantiu que jamais cometeu irregularidades.

O Instituto Lula não perdeu tempo para divulgar uma nota, através de sua assessoria de imprensa, para isentar o político de envolvimento no caso. "O ex-presidente Lula jamais participou, direta ou indiretamente, de qualquer ilegalidade, seja nos fatos investigados pela operação Lava Jato, ou em qualquer outro, antes, durante ou depois de seu governo", alega a nota divulgada pela instituição.

Publicidade
Publicidade

O veterano político de 70 anos teria atuado nos bastidores para silenciar Cerveró e executivos de empreiteiras envolvidos na Lava Jato, segundo Amaral.

A estratégia do Partido dos Trabalhadores a partir de agora é desqualificar o depoimento de Delcídio do Amaral, que através da delação premiada, ao menos responderá o processo em liberdade. Ele foi preso por atrapalhar as investigações ainda nas primeiras fases do processo. Cerveró, entretanto, continua detido, acusado de crime de corrupção e lavagem de dinheiro.

O presidente do PT, Rui Falcão, e um dos principais aliados de Lula, aproveitou para defender o partido, neste momento de fogo cruzado. "Se é que ele (Delcídio do Amaral) fez essas declarações, não merecem credibilidade. Porque nunca o ex-presidente Lula fez tratativas como as mencionadas, tampouco a presidente Dilma", assegurou.

Publicidade

Falcão foi além e deixou claro que Delcídio está suspenso do partido e depois de ser oficialmente notificado terá dez dias para tecer sua defesa.

A delação de Delcídio do Amaral

A revista "IstoÉ", através de um artigo em seu site, revelou com detalhes alguns trechos do depoimento feito pelo senador aos procuradores da Operação Lava Jato. Delcídio do Amaral teria apontado Lula como o responsável por realizar acordos com Cerveró, enquanto Dilma seria responsável por "abafar" o caso utilizando de sua influência política. Ainda nesta tarde de quinta-feira, entretanto, o próprio senador emitiu uma nota oficial não confirmando a veracidade das notícias publicadas pela revista. #Crise no Brasil