Um dia após ser anunciado como o novo ministro da Casa Civil, Luís Inácio #Lula da Silva retorna nesta quinta-feira, dia 17, como membro do #Governo Dilma, ao Palácio do Planalto. A posse antecipada ocorre após a liberação de conversas telefônicas, autorizadas pela justiça e liberadas no final da tarde desta quarta-feira pelo juiz Sérgio Moro.

O conteúdo dos telefonemas entre Dilma e Lula caíram como um verdadeira " bomba"  no cenário político brasileiro, que já se encontra bastante exaltado diante do fato de Lula assumir um cargo no governo. Nas conversas, a presidente diz ao petista que enviaria o termo de sua posse como ministro, entretanto, que ele deveria usá-lo somente em " caso de necessidade ".

Publicidade
Publicidade

O fato divulgado irritou bastante a oposição. Para esta ala, ficou bastante clara que a verdadeira intenção do Palácio do Planalto era a de agir em favor de Lula, diante de uma possível prisão que poderia ser decretada a qualquer momento pelo juiz Sérgio Moro. Os oposicionistas afirmam que, o discurso de Dilma defendendo a ida do ex-presidente para ajudar na condução da política interna, foi somente de fachada para esconder as reais intenções, a favor do petista. As gravações sugeriram que a própria Dilma agiu com a intenção de proteger seu antecessor. 

A divulgação dos grampos causou muita indignação pelo país afora. Manifestações foram registradas tanto no Distrito Federal quanto em outros 19 estados brasileiros.

A reação do governo veio através dos advogados do governo e de Lula, que consideraram a atitude de Moro uma violação à Constituição brasileira, além de ferir os direitos e garantias da Presidência da República e uma afronta à figura de Dilma Rousseff.

Publicidade

Uma nota divulgada pelo governo, após o episódio do grampo, afirma que o mesmo iria se movimenta no sentido de tomar todas as providências cabíveis , a fim de reparar o aviltante ato do juiz autor do vazamento.

 A posse de Lula deverá acontecer nesta quinta-feira, dia 17. O ex-presidente e agora ministro da Casa Civil, tomará o lugar de Jaques Wagner, que assumirá o novo cargo de ministro do gabinete pessoal da presidência da República. Além dele, tomam posse também Eugênio Aragão, que irá ocupar a pasta da Justiça e Mauro Lopes, que assumirá o ministério da Avião Civil.   #Dilma Rousseff