O PRB - Partido Republicano Brasileiro - deixou o governo de #Dilma Rousseffnesta quinta-feira (17), e foi mais um duro golpe para a presidente, que já anda tão sem forças e sem apoio diante da crise que não para de crescer.

E a saída do PRB da base aliada do governo indica muito mais que a perda de um partido que apoiava Dilma, significa também que este é o fim do apoio que a Igreja Universal vinha dando ao governo do PT, aliás, um importantíssimo apoio e que fará muita falta, principalmente nos próximos dias.

Foi o próprio Edir Macedo que autorizou o rompimento do PRB com o governo, alegando que está "farto" de tantos escândalos que estão sendo descobertos e que deixam claro que muito mais "podridão" ainda está para ser mostrada a respeito deste governo.

Publicidade
Publicidade

O apoio da Igreja Universal ao Partido dos trabalhadores começou em 2002, época em que Luiz Inácio Lula da Silva foi eleito para presidente do Brasil. A partir daí, Edir Macedo passou a dar todo apoio ao PT e já no ano seguinte começou a nascer o PRB que logo foi anexado à base de Lula.

No ano de 2005, o PRB foi oficialmente registrado, mas, naquela ocasião, com o nome de PMR - Partido Municipalista Renovador, sendo que poucos sabiam que este era, na verdade, um partido da Universal, mas haviam muitos políticos interessados em levar este partido adiante como o próprio José de Alencar, que entrou dando todo apoio. Em 2006, o partido passou a se denominar finalmente de PRB.

O PRB era conhecido entre alguns políticos como "Partido da Universal" e durante a gestão de Lula chegou a ocupar cargos importantes, principalmente em 2012, quando um sobrinho de Edir Macedo, Marcelo Crivella, se tornou ministro da Pesca.

Publicidade

Crivella só deixou o cargo em 2014, mesmo assim, tendo sido substituído por Eduardo Lopes, também do PRB.

É cedo para alguém dizer que o fato de Edir Macedo não apoiar mais o governo Dilma trará prejuízos para o PT, uma vez que o jornalismo da Record é independente e, teoricamente, a igreja não pede aos seus fiéis para votarem em um ou outro político.

Mas, por causa do caos instalado e tantas acusações sendo feitas, além do processo de #Impeachment já tendo sido instalado, sem dúvida alguma, Dilma e os petistas sentirão muito a falta de apoio da Universal. #Crise no Brasil