O Deputado Federal Pastor Marco Feliciano (PSC-SP) apresentou nesta quinta-feira (17), na Câmara dos Deputados, uma moção de repúdio à indicação do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva à Ministro-Chefe da Casa Civil, pela presidente Dilma Rousseff. Para ele, a indicação é um descaso contra os brasileiros. Ele também aproveitou para incitar o avanço ao processo de impeachment contra a atual presidente da República.

Na moção, ele menciona uma reportagem em emissora de TV, em que Roberto Delmanto Júnior e David Teixeira de Azevedo defendem que o ministério entregue nas mãos do ex-Presidente Lula é uma forma de protegê-lo, o que isso pode se considerar crime, pelo que se é conhecido como “desvio de finalidade”.

Publicidade
Publicidade

Para Feliciano, Dilma insiste - mesmo após uma série de notícias de cunho negativo nas últimas semanas -, com a nomeação do ex-Presidente, com a estratégia de salvar seu mandato de um processo de impedimento, dando a ele o cargo mais importante de seu gabinete.

Em sua fala, o deputado menciona também ter ouvido falar, no Supremo Tribunal Federal, algo sobre “parlamentarismo, uma vez que o país, em 1993, havia votado em plebiscito que o modelo não deveria existir no Brasil. “A população não aceita isso”“.

Parlamentarismo é um sistema de governo de caráter representativo, no qual a direção dos negócios públicos é atribuída a um gabinete ministerial formado no cerne do parlamento, a cujo voto de confiança ou desconfiança é submetido.

Ele compara o assunto a um defunto, escondido no senado e que “ressuscitaram”, deixando ares de um futuro parlamentarismo ou semiparlamentarismo, que ele considera que o ex-presidente Lula, indicado Ministro-Chefe da Casa Civil poderia usufruir desses poderes.

Publicidade

O deputado finaliza dizendo que a população está “cansada” e merece respeito. “O País não suporta mais essa bandalheira, essa criminalidade solta. O Brasil merece respeito”. Ele disse também esperar que a Casa não se curve a todos estes acontecimentos. "Há um descaso no nosso País: a voz das ruas não está sendo ouvida".

Marta Suplicy faz duras críticas ao PT e diz que Dilma não dá conta do recado

Leia a transcrição da moção de repúdio na íntegra:

Eu, Deputado Pr. Marco Feliciano, do PSC de São Paulo, e outros que esta subscrevem, comprometidos com o anseio de todo o povo brasileiro, manifestamos moção de repúdio contra a nomeação do ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva para o cargo de Ministro da Casa Civil da Presidência da República, como divulgado pela Presidência da República, pelos motivos que seguem:

Ouvidos pelo Jornal da Record, Roberto Delmanto Júnior e David Teixeira de Azevedo defendem que um Ministério na mão do ex-Presidente é uma forma de protegê-lo. A manobra também pode ser considerada crime, pois haveria o que é conhecido como desvio de finalidade.

Três dias depois de centenas de milhares de pessoas irem às ruas do País, pedindo impeachment, e um dia após a homologação da bombástica delação premiada do Senador Delcídio do Amaral, a Presidente Dilma Rousseff informou que o ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva — seu mentor e antecessor — será o novo Ministro-Chefe da Casa Civil.

Acuada por uma série de notícias negativas nas últimas semanas, a petista tenta, com a nomeação do ex-Presidente para o cargo mais importante de seu gabinete, salvar seu mandato de um processo de impedimento que parece cada vez mais iminente. #Crise #Corrupção #Polícia Federal