Com 96% dos votos o atual vice Presidente da República Michel Temer, foi reeleito para o quarto mandato à frente da presidência do PMDB (Partido do Movimento Democrático Brasileiro). A eleição ocorreu durante a convenção nacional do partido, que também elegeu o senador Romero Jucá de Roraima como vice presidente da sigla.

A escolha é feita em um momento que, o partido finaliza o rompimento com o governo de Dilma Rousseff. Ao reafirmar uma cultura de independência, e apresentar #Michel Temer como sendo a solução para tirar o país da crise.

Temer chegou a fazer um discurso de unidade nacional, e afirmou que junto com a população vai resgatar o país e o crescimento econômico.

Publicidade
Publicidade

E disse ainda, que o PMDB é um partido de propostas.

O partido que internamente está dividido demostrou aqui um discurso afinado, quanto ao fim da aliança com o palácio do planalto. Enquanto parlamentares discursavam contra o governo, militantes gritavam "fora Dilma" e "fora PT".

E apesar dos discursos, a convenção não produziu um documento conclusivo sobre o rompimento da sigla com o governo, como era expectativa de muitos correligionários. O que foi decidido é que dentro de um prazo de 30 dias, o partido irá se posicionar sobre o rompimento. Segundo alguns peemedebistas é um caminho sem volta, apesar de essa ser uma decisão não oficial.

Após a convenção, o partido vai continuar reforçando a postura de independência, e apresentando Michel Temer como essa possível saída da crise, que o Brasil passa atualmente.

Publicidade

Outra questão que foi decidida durante a convenção, é que o PMDB não irá ocupar mais nenhum cargo no governo, enquanto a decisão do rompimento não for oficializada.

Na próxima semana estava previsto que o partido recebesse mais um ministério, que seria o da aviação civil. seria comandado pelo deputado Marou Lopes, de Minas Gerais. Com mais esse seriam sete ministérios, comandados pelo partido, que são:

# Ministério da Saúde

# Ministério da Ciência e Tecnologia

# Ministério de Minas e Energia

# Ministério da Agricultura

# Ministério do Turismo

# Ministério dos Portos

E caso seja consolidado o rompimento, os ministros serão orientados a deixar as pastas. 

O governo teria a governabilidade de colocada em cheque, já que o partido tem o maior número de deputados na câmara, com 67 parlamentares. #Crise no Brasil