Se por um lado o juiz federal Sérgio Moro é considerado um verdadeiro herói nacional, por outro é tido como um crápula capaz de ameaçar a democracia. A dicotomia atual resultante da política brasileira põe a figura do principal responsável da Operação #Lava Jato em questão. E há os mais exaltados, isto é, há aqueles que ameaçam o juiz diante de suas atitudes condizentes com o seu cargo.

Mesmo com a Lava Jato invadindo a vida de políticos importantes e construtoras influentes, Moro não considerava a possibilidade de modificar a sua simples rotina. Seguia normalmente indo trabalhar pedalando sua bicicleta, frequentando restaurantes e shoppings em Curitiba e correndo, sem companhias, pelas ruas da capital paranaense.

Publicidade
Publicidade

Mas, com o decorrer dos episódios e com a repercussão nacional das investigações, o juiz foi obrigado a modificar suas atividades.

As corridas na rua deram lugar à boa e velha esteira. E, embora relutasse fortemente, acabou aceitando uma escolta especial formada por homens da Polícia Federal, mesmo repetindo o mantra a cada sugestão recebida: "Há alguma ameaça que possa ser considerada concreta?".

Nas redes sociais, as ameaças contra o juiz responsável pela Lava Jato ultrapassam os limites da democracia. Um twitteiro já identificado chegou a propor: "Matemos Moro". Outro radical postou no seu Facebook: "Todos de esquerda nas ruas já e com armas nas mãos!".  #PT