O pedido de prisão preventiva do ex- presidente Luiz Inácio #Lula da Silva é em virtude do processo de investigação de suspeitas de crime de lavagem de dinheiro e falsidade ideológica. Essa investigação está relacionada com a propriedade de um apartamento tríplex, no edifício Solaris, em Guarujá, no estado de São Paulo.

Na denúncia, os promotores Cássio Conserino, José Carlos Blat e Fernando Araújo escreveram que é “imprescindível o decreto de prisão preventiva, em razão da conveniência da instrução criminal” e por temerem que o ex-presidente possa movimentar a militância do PT em seu apoio, para evitar que o processo tenha andamento.

Publicidade
Publicidade

Além do ex-presidente, também foram solicitadas a prisão do ex-presidente da OAS, José Adelmário Pinheiro, conhecido como Leo Pinheiro, João Vaccari Neto, ex-presidente da Bancoop e ex-tesoureiro do PT, e outras pessoas ligadas à investigação da Bancoop.

A acusação contra Lula e os demais envolvidos foi protocolada na noite de quarta-feira (09), no Fórum Criminal da Barra Funda, em São Paulo. Os promotores afirmam que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva tentou ocultar ser proprietário do imóvel, que aparece registrado em nome da empreiteira OAS. Lula nega ter comprado o imóvel.

Na denúncia os autores citam que houve ameaças a vítimas e testemunhas e prejuízo na elaboração de provas para o caso. Dizem ser de conhecimento as manobras violentas do ex-presidente e de seus apoiadores, com defesa inclusive da presidente da República Dilma Rousseff, com o intuito de blindar o acusado.

Publicidade

Os promotores, em entrevista nesta quinta-feira (10), negaram que a denúncia contra Lula tenha cunho político. O ex-presidente foi denunciado por dois crimes, lavagem de dinheiro e falsidade ideológica. Se for condenado, a pena para os dois crimes somadas podem chegar a 13 anos de prisão.

O promotor José Carlos Blat informou que outros integrantes do partido dos Trabalhadores (PT) devem ser investigados por suspeitas de terem sido beneficiados com imóveis da Bancoop.

Marisa Letícia e seu filho, Fábio Luis Lula da Silva, foram denunciados por lavagem de dinheiro. Mais 12 nomes foram arrolados na denúncia.

As acusações de que a investigação do imóvel pertence ao MP de Curitiba também foram rebatidas pelos promotores. Segundo eles, foram compartilhadas as informações entre o MP de São Paulo e o MPF. E que o sítio de Atibáia está sobre responsabilidade da #Lava Jato a investigação. #Corrupção