#Dilma Rousseff viverá outra semana crucial para a manutenção da sua governabilidade como presidente do Brasil. E a primeira medida já foi tomada nesta terça-feira, 8, justamente no Dia Internacional da Mulher. Como forma de preservar sua imagem e evitar um novo panelaço pelo país, Dilma evitou fazer um pronunciamento em cadeia nacional e usou suas redes sociais para homenagear as mulheres.

Curiosamente, o panelaço está fazendo “aniversário” nesse dia 8. A primeira vez que a população contrária ao governo Dilma se manifestou dessa forma foi no pronunciamento da presidente no Dia das Mulheres do ano passado. Desde então, a prática tem sido recorrente a cada exibição do programa eleitoral do Partido dos Trabalhadores (#PT).

Publicidade
Publicidade

No dia 24 de fevereiro, com a participação e a fala do ex-presidente #Lula, a sigla exibiu o seu último programa e várias cidades brasileiras registraram o panelaço.

Mas, para não passar em branco em uma data tão importante e significativa, Dilma usou as redes sociais para reverenciar as mulheres e defender as políticas dos governos do PT. Pelo Twitter, a presidente enviou uma série de mensagens ressaltando as suas ações voltadas às brasileiras e lembrou que “nos últimos 13 anos, o governo tem trabalhado como prioridade a questão do gênero e a garantia dos direitos das mulheres”.

Ela também fez questão de lembrar que há um ano sancionou a Lei do Feminicídio, que estabeleceu como crime hediondo os assassinatos de mulheres decorrentes de violência doméstica ou discriminação de gênero. Ela também lembrou que a Lei Maria da Penha é reconhecida internacionalmente.

Publicidade

Paz para enfrentar a crise

Programado inicialmente para ser realizado no Ministério da Saúde, Dilma trouxe para o Planalto a cerimônia da assinatura de portaria que prevê cirurgias reparadoras realizadas pelo Sistema Único de Saúde (SUS) a mulheres violentadas. Durante o seu discurso no evento, nesta terça, a presidente do Brasil pediu “paz” para que o governo supere as crises existentes e recupere o seu potencial de crescimento.

“É importante termos uma sociedade pacificada. Ter um quadro de paz é de vital importância, especialmente para que os governos que precisam dela, como o nosso, possam criar condições do enfrentamento da crise para retomar o crescimento”, salientou Dilma.

Segundo a petista, o Brasil vive um momento complicado para recuperar o seu crescimento, já que a crise política, nas palavras dela, é “episódica, porque vai e vem”. “Esse é um componente que atrasa o nosso processo natural de crescimento”, acrescentou.

Para buscar uma saída da crise política e econômica que assola o país, Dilma teve uma companhia de peso no jantar desta terça-feira.

Publicidade

O seu padrinho político, Luiz Inácio Lula da Silva, o ex-presidente Lula, desembarcou em Brasília para se reunir com a sua sucessora e avaliar as consequências da 24ª fase da Operação Lava Jato. Na última sexta-feira, Lula foi alvo de uma condução coercitiva pela Polícia Federal para prestar depoimento, em um episódio que movimentou o cenário político brasileiro.