Desde a última segunda-feira (21) que Eva Chiavon está no comando da Casa Civil e é o braço direito de #Dilma Rousseff. E se para a oposição já estava difícil ter que derrubar uma, agora vai ter que brigar com duas "Dilmas", pois Eva Chiavon é conhecida como "Dilma da Bahia".

O cargo na Casa Civil era para ser ocupado por Luiz Inácio Lula da Silva, mas ele acabou sendo impedido de tomar posse e de última hora o governo resolveu colocar a "Dilma da Bahia" no poder.

Este título de "Dilma da Bahia" é por causa de seu gênio forte e também por ter um perfil bem parecido com a da presidente, ser bem "gerentona" e assim a petista catarinense ganhou o "carinhoso" apelido quando esteve na Casa Civil entre os anos de 2007 e 2010, mas naquela ocasião como secretária estadual e Jaques Wagner era o governador do estado.

Publicidade
Publicidade

Quando Dilma esteve à frente da Casa Civil quando Lula era presidente, recebeu o título de "mãe do PAC" e era Eva Chiavon que cuidava do calendário das obras e todos os projetos pelos estados. E quando Wagner esteve na Casa Civil como ministro, Chiavon tinha como função a parte administrativa e fez muito bem seu trabalho, deixando os petistas satisfeitos, tanto é que agora ela recebeu este importante convite.

O assunto nos bastidores mostram que as duas Dilmas perdem a paciência facilmente com seus subordinados e isto até teria criado uma certa afinidade entre elas. Chiavon até chegou a ser indicada como possível nome para o Ministério do Desenvolvimento Social, mas como Tereza Campello já tinha sido convidada, então foi preciso aguardar um pouco mais até que agora a oportunidade surgisse.

Publicidade

Experiente, Eva Chiavon já passou pelo ministério do Trabalho, ministério do Planejamento e Defesa e tem agora a dura missão de assumir a Casa Civil a meio a uma grande crise.

Dilma Rousseff queria um nome forte na Casa Civil e "Dilma da Bahia" é sem dúvida alguma um ótimo reforço para o Governo neste delicado momento, ainda mais agora que o #Impeachment é uma dura realidade para o Partido dos Trabalhadores. #Crise no Brasil