A caça da Operação #Lava Jato ainda continua e é um assunto que pode dar muito o que falar, pelo menos por um bom tempo. Foi por isso que Cláudio Lamachia, um dos presidentes da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) disse que se sente preocupado com a mudança de ministros na Justiça, pois o contexto atualmente é de grande pressão política em relação aos partidos. Se a operação sofrer pressões por conta dos partidos, a OAB deverá entrar com uma ação.

Cláudio disse que está muito preocupado com a situação, pois ela está repercutindo cada vez mais, e de forma negativa. Caso a Operação Lava Jato sofra pressões políticas ou escândalos que interfiram nas investigações, a OAB deverá entrar em ação imediatamente, sem a participação e o direito a nenhum debate. Esta iniciativa surgiu por parte da OAB, depois que o Ministro da Justiça José Eduardo Cardozo resolveu abandonar seu posto no Órgão após cinco anos de mandato.

Publicidade
Publicidade

Ele fez isso porque escolheu assumir somente a AGU (Advocacia Geral da União) daqui pra frente.

Já existe outro Ministro escolhido pela presidenta Dilma Rousseff para ocupar o lugar de José Eduardo e o nome dele é Wellington César Lima e Silva. A ocupação do cargo por Wellington será à luz de críticas do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e de alguns membros do PT (Partido Trabalhista), que colocavam pressão para que José Eduardo deixasse logo o cargo, pois ele não estava impedindo a Polícia Federal de fazer vistorias na operação.

Segundo Cláudio Lamachia, a OAB estará sempre de olhos abertos, pois o Brasil está vivendo numa democracia atualmente, além de ser um Estado que busca por igualdade de direitos, por isso, as instituições precisam funcionar de forma correta e dentro dos parâmetros da Lei da Constituição Federal.

Publicidade

Se por acaso essas instituições forem vedadas por algum motivo, é a vez da OAB defendê-las, de acordo como previsto na Lei Federal. Wellington disse que a Polícia Federal poderá continuar seu trabalho normalmente, mesmo com a troca de ministros, e que as instituições do Brasil são maduras o suficiente para deixarem absolutamente tudo inalterado durante o processo. #Corrupção