#Lula e o PT decretaram guerra contra a justiça, acusando a própria #Polícia Federal de tentar incriminar o ex-presidente. Então milhões de pessoas tomaram as ruas e Lula continuou mostrando-se acima da lei. Sérgio Moro o levou para depor, e suas respostas foram ríspidas.

Em parte de seu depoimento, Lula disse que se candidataria como presidente da república devido os 'desaforos' que estava 'sofrendo' e que dali para frente, devolveria os tais 'desaforos'. Tudo parecia ir muito bem para o petista, até a Polícia Federal gravar conversas de Lula com Dilma e outras pessoas, divulgando-as publicamente.

Nessa gravação, de cerca de dez minutos, Lula Liga para a presidente da república, #Dilma Rousseff e os dois conversam sobre a atual situação política que vivem.

Publicidade
Publicidade

Dilma tenta ser cautelosa em suas palavras, mas Lula é explicito, dizendo que está pensando em entregar seu acervo para o Ministério Público, dizendo inclusive que é para o MP 'enfiar no c...' seu acervo.

O ex-presidente também critica Sérgio Moro e se diz assustado com a 'República de Curitiba', fazendo referência ao juiz federal e a sede da PF que realiza a Lava Jato. O petista não para por aí e critica a imprensa. Em parte do diálogo, Dilma o coloca para conversar com Jaques Wagner, ocasião em que os dois xingam Delcídio do Amaral de canalha por os terem traído e Lula aconselha o político em um novo plano para tentar resolver a situação dos petistas.

As conversas que têm sido divulgadas desde a tarde de quarta-feira, 16, repercutiram internacionalmente, gerando maior expectativa do impeachment de Dilma, bem como da prisão do ex-presidente do Brasil, que por sua vez tomou posse como ministro da Casa Civil na manhã dessa quinta-feira, 17, e teve sua nomeação suspensa instantes depois.

Publicidade

As gravações mostram o que todos já sabiam, inclusive os que defendem o governo e fingem que nada há de errado com o mesmo: a PF não tem porque inventar nada sobre os investigados e a imprensa (imprensa, não blogues livres de sociedade e opinião) não divulgaria uma notícia falsa, pois isso geraria um eventual prejuízo judicial, logo, tanto imprensa séria, quanto Sérgio Moro e cia realizam seus atos embasados pelas normativas em vigor, podendo defender-se legalmente no caso de questionamento por parte dos envolvidos que se sintam 'lesados' com as informações disponibilizadas.

Enfim, por essas divulgações, os 'companheiros' do PT não esperavam.

Ouça o áudio completo:

Deixe um comentário com a sua opinião sobre essa gravação.