Ao que tudo indica o PMDB vai abandonar o governo Dilma. Conforme noticiou o portal de notícias G1, a decisão de retirar o apoio a presidente #Dilma Rousseff, deve ser formalizada na convenção nacional do PMDB, que acontece no sábado (12).

Saibam mais sobre a debandada do PMDB 

Há muito tempo o clima entre o PMDB e o PT já não era mais tão cordial. Nem mesmo as inúmeras tentativas do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, de manter a todo custo o apoio peemedebista ao governo Dilma, surtiram  efeito.

E será na convenção nacional do PMDB, no sábado (12) que a debandada terá seu início. O G1 ouviu alguns parlamentares peemedebistas que afirmaram que "não haverá um rompimento oficial com a presidente Dilma Rousseff", contudo existirá uma moção a ser votada e que deverá ser aprovada; solicitando maior independência do partido em relação ao governo federal, onde será redigido um documento onde o PMDB libera seus parlamentares para votar a favor do #Impeachment da presidente.

Convenção do PMDB vai ser a mais oposicionista ao PT dos últimos 11 anos

Vários parlamentares e filiados do PMDB, afirmam que será a convenção selará o fim do apoio dos últimos 11 anos ao PT.

Publicidade
Publicidade

Várias monções estão sendo preparadas e serão apresentadas na convenção do partido. Existem aqueles que defendem a debandada imediata e total do governo, já outras vertentes sugerem mais independência e um maior distanciamento.

Entretanto acredita-se que será encontrado um meio termo, onde a tendência realmente será a liberdade de votação no processo do impeachment e maior autonomia para as votações no Congresso Nacional. O deputado Darsício Perondi (PMDB-RS), defende o rompimento total com o PT, segundo ele " o PMDB se continuar com o PT, vai morrer afogado com ele".

PMDB sob nova direção

Na convenção do partido também haverá a eleição da nova direção do PMDB. Ao que parece, Michel Temer atual presidente do partido e vice-presidente da República seja reeleito.

#Lula sabendo do possível afastamento do PMDB do governo Dilma, esteve em Brasília em busca de apoio na última quarta-feira (9), onde tomou o café da manhã com alguns senadores do PMDB, entre eles o presidente do Senado Renan Calheiros (PMDB-AL).

Publicidade

Entretanto na noite de quarta-feira (9), os peemedebistas Renan Calheiros e Eunício de Oliveira, compareceram a um jantar onde estava presente a cúpula do PSDB. Logo após o encontro o PMDB e os Tucanos, anunciaram que os dois partidos vão caminhar juntos, em busca de uma melhor solução para crise política do Brasil.