Após a Operação batizada de "Aletheia", deflagrada na sexta-feira (4) pela Força-tarefa da Lava-Jato, da Polícia Federal, sob o comando do juiz Sergio Moro, documentos de extrema importância para o prosseguimento das investigações foram descobertos em São Paulo. De acordo com os investigadores, durante mandado de busca e apreensão no Instituto #Lula, eles tiveram de arrombar uma das portas e perceberam que diversos documentos haviam sido subtraídos do local, como se membros ligados ao ex-presidente já soubessem que a operação seria realizada e tivessem, no entanto, tempo para que arquivos, computadores e outros documentos fossem retirados previamente do Instituto, conforme suspeitava a Polícia Federal.

Publicidade
Publicidade

É o que se confirmou, pois na Rua Gonçalo Pedrosa, número 139, no Bairro Ipiranga, na capital paulista, os agentes da PF conseguiram localizar  os documentos que estavam escondidos e  que podem até piorar a situação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, conforme forem avançando as investigações.

Contratos de palestras

Assim que os agentes da força-tarefa da Lava-Jato adentraram na residência, um vasto material foi encontrado, inclusive, contratos de prestação de serviços relativos às palestras de Lula, em nome de sua empresa L.I.L.S, firmados com empreiteiras envolvidas "até o pescoço" em escândalos que remontam a desvios bilionários de recursos públicos, principalmente, em relação aos cofres públicos da Petrobrás. Além disso, foram encontrados passaportes diplomáticos do ex-presidente já vencidos, além  de boletos e notas fiscais emitidos pelo Instituto Lula.

Publicidade

De acordo com os agentes federais, essas novas descobertas são devastadoras, pois os documentos estavam escondidos e, como são essenciais para as investigações, pode-se configurar como uma forma de"obstrução de Justiça". O fato que também impressionou substancialmente a Polícia Federal é que notas emitidas durante os meses de fevereiro e março de 2016, em nome de Cleber Batista Pereira Informática Me, são relativos a diversas operações como: gerenciamento de contas de e-mail, administração de servidores da web e backup de servidores em nuvem. A PF, provavelmente, requisitará mandado de busca e apreensão na empresa de Cleber, a fim de que possa adquirir a integralidade de todos os dados, inclusive fornecimento de senhas do Instituto Lula, para acesso aos arquivos eletrônicos, conforme pedido realizado ao juiz da Operação Lava-Jato, Sérgio Moro. #Lava Jato #Corrupção