As reuniões entre turcos e líderes da #União Europeia ainda não renderam os resultados esperados quanto ao problema da imigração de clandestinos e refugiados na região. Nesta sexta-feira, dia 18 de março, em discurso inflamado, Tayyip Erdogan, presidente da Turquia, teceu duras críticas contra a política das grandes potências europeias, dando a entender que o bloco não compreende o tamanho da gravidade da situação.

O dirigente fez declarações polêmicas, mesmo depois de ter entrado em acordo com a União Europeia na semana passada. Segundo o tratado, a União Europeia providenciaria mais um aporte financeiro - aproximadamente cerca de US$ 3 bilhões -, além de conceder benefícios diplomáticos, para que a Turquia endurecesse o fluxo de imigrantes ilegais.

Publicidade
Publicidade

Os clandestinos tomam a rota do Mar Egeu e do Mar Mediterrâneo para alcançar o continente europeu, partindo da Turquia, com destino à Grécia e Itália.

Tayyip Erdogan não se esquivou sobre a forma como a Europa tem conduzido as ações em busca de paz. "Em um momento no qual a Turquia está abrigando três milhões (de imigrantes), aqueles que são incapazes de encontrar espaço para alguns poucos refugiados, que no meio da Europa mantêm estes inocentes em condições vergonhosas, precisam olhar para si mesmos primeiro", disparou o presidente turco, em pronunciamento na televisão, comentando o histórico da Europa sobre o tema. O #Conflito na Síria, em guerra civil há cinco anos, é a principal responsável pela imigração clandestina.

O dirigente aproveitou a ocasião para enfatizar também sobre a possibilidade de algumas nações ajudarem terroristas curdos, responsáveis por dois ataques na Turquia em menos de um mês, e que deixou saldo de 66 mortos na capital Ancara.

Publicidade

"Nossa luta contra o terrorismo é calculada e legítima... Cada organização terrorista ativa em nossa região e na Turquia se uniu contra a Turquia", alegou Tayyip Erdogan. Ainda segundo ele, líderes europeus ocidentais estariam evitando ajudar a Turquia.

Reunião de emergência

Enquanto o presidente discursou e demonstrou que a ajuda europeia tem sido ineficaz até o momento, o primeiro-ministro Ahmet Davutoglu se reuniu com líderes da União Europeia nesta sexta-feira, dia 18 de março. O representante turco demonstrou confiança de que as nações envolvidas chegarão a um acordo em breve. "É claro que a UE e Turquia têm a mesma meta, o mesmo objetivo de ajudar refugiados sírios... tenho certeza... vamos atingir nossa meta", reiterou o primeiro-ministro. A rodada de reuniões prossegue, com a Turquia exigindo mais garantias da União Europeia de receber apoio diante da investidas de terroristas curdos e do Estado Islâmico. #Crise migratória