Juristas criticaram duramente a postura do juiz Sérgio Moro na condução das investigações feitas pela Operação #Lava Jato, que recentemente completou dois anos de ação, mas que vive seu momento mais turbulento nos últimos dias.

Em um ato batizado como “Manifesto pela Legalidade e pela Democracia”, realizado na quinta-feira passada, 17, no Salão Nobre da Faculdade de Direito da USP (Universidade de São Paulo), especialistas jurídicos afirmaram que atos recentes de Moro atentam contra o Estado de Direito no Brasil.

Durante os discursos dos advogados e dos demais especialistas, centenas de pessoas que compareceram ao evento se manifestaram contrários ao juiz Sérgio Moro, inclusive, pedindo a prisão do mesmo.

Publicidade
Publicidade

Outro ponto também bastante criticado pelos juristas durante suas falas foi com relação ao que eles chamaram de “espetacularização do processo penal” que vem sendo realizado pela Grande Mídia.

De acordo com publicação do jornal Folha de São Paulo, o professor de Direito Penal da USP, Sérgio Schecaira, um dos participantes do ato, afirmou que Moro deveria ser preso devido à quebra de sigilo telefônico do ex-presidente #Lula e pela divulgação seletiva na mídia destas gravações, que, segundo o especialista, ainda deveriam estar sob sigilo por se tratar de uma investigação em curso.

Por fim, praticamente todos os juristas que participaram do ato na USP defenderam a ideia de que há uma evidente tentativa de Golpe em plena vigência no país. #Crise no Brasil