O juiz federal Sérgio Moro, participou na terça-feira (29) de um seminário sobre #Corrupção em São Paulo. Em sua palestra, o juiz afirmou, que a #Justiça sozinha não consegue colocar fim a corrupção. Conforme noticiou o portal G1, Moro salientou que é preciso que todos os setores da sociedade se mobilize contra a corrupção já que no Brasil ela se tornou "regra de mercado".

A corrupção no Brasil é algo assustador

Sérgio Moro ministrou uma palestra na qual abordou o tema sobre as operações anti-corrupção '#Lava Jato' que acontece no Brasil, e 'Mani Pulite' - Mãos Limpas na Itália, que aconteceu no seminário sobre a corrupção em São Paulo, na Procuradoria Regional da República da 3ª Região.

Publicidade
Publicidade

Durante a palestra Sérgio Moro deixou claro que a Justiça tem um papei fundamental no combate a corrupção, contudo sozinha não consegue liquidar com este problema. Moro afirmou que "é preciso que as outras instituições públicas operem e aprovem leis de enfrentamento da corrupção".

O juiz federal enfatizou que a corrupção sistêmica é algo muito assustador, pois o que era para ser uma exceção, se tornou uma regra, uma prática comum, chegando a se tornar uma "regra de mercado".

Operações 'Lava Jato' e 'Mãos Limpas'

Moro disse que tanto a operação Lava Jato, quanto a operação Mãos Limpas que aconteceu na Itália, começaram de forma até certo ponto banal, porém " o aprofundamento das investigações foi ampliando o foco, revelando novos fatos, uma verdadeira bola de neve".

Em dado momento da palestra o juiz afirmou que "essas corrupções endêmicas e sistemáticas, se não forrem combatidas, tendem a ficar pior".

Publicidade

Disse que na Itália a operação 'Mãos Limpas' realizada na década de 90, trouxe ótimos resultados e foi encerrada, já no Brasil, a Operação Lava jato "é uma história aberta esperando pelo seu final'.

A sociedade precisa exigir o fim da corrupção

Sérgio Moro acredita que se faz necessário a mobilização de todos os setores da sociedade afim de exigir o fim da corrupção. Ele afirmou que a Justiça isoladamente não é capaz de eliminar esta prática. Moro pediu para que a sociedade civil se mobilize e exija transparência das instituições públicas. Ressaltou também que as empresas privadas se organizem e excluam de uma vez por todas o pagamento de propinas. É preciso dar um basta na corrupção.