O STF divulgou hoje, dia 7 de março de 2016, o rito do processo de #Impeachment contra a presidente Dilma Rousseff. De acordo com a decisão do STF, os líderes de partidos (sem chapas avulsas) irão indicar os representantes da comissão especial, decisão esta que desagrada ao atual presidente do Câmara Eduardo Cunha (PMDB). Além da formação da comissão especial , o STF definiu que esta ocorrerá como votação aberta, ao contrário do que aconteceu na eleição da chapa da oposição. O STF também decidiu que o Senado poderá recusar a instauração do processo, mesmo após a aprovação por pelo menos 2/3 do membros da Câmara (342 dos 513 deputados). O Procurador-geral da república, Rodrigo Janot, também sugeriu regras ao STF, as quais algumas foram prontamente atendidas.

Publicidade
Publicidade

Até mesmo a OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) decidiu que pode apoiar o processo de impeachment, depois que o senador Delcídio do Amaral fez a delação premiada denunciando a presidente Dilma e o ex-presidente Lula de estarem envolvidos em vários casos de corrupção na Petrobrás, entre outros vários casos divulgados pela revista ISTO É. O presidente da OAB, Cláudio Lamachia, pediu ao STF para ter acesso a íntegra da delação premiada do senador. A OAB disse através de seu presidente que as acusações são extremamente graves, e o órgão pode dar entrada no processo de impeachment caso se comprovem tais acusações.

AS CONSEQUÊNCIAS DA DELAÇÃO

A delação premiada do senador Delcídio caiu como uma bomba no Palácio do Planalto, pois afetou de modo direto a presidente Dilma e o ex-presidente Lula.

Publicidade

O mercado brasileiro reagiu de forma positiva quando a delação foi divulgada, tanto que o dólar teve uma queda vertiginosa, e as ações da estatal Petrobrás subiram 48%. O mercado analisou que um impeachment estaria mais próximo depois que os fatos foram divulgados. O certo que é que nas próximas semanas a operação #Lava Jato vai divulgar mais fatos, deixando o Palácio do Planalto em situação mais difícil. O mercado brasileiro acompanha com atenção, bem como outros países que se preocupam em investir no Brasil. #Congresso Nacional