Uma excelente notícia para todos os milhões de brasileiros que estão protestando nas ruas, pedindo o fim da #Corrupção e a prisão dos envolvidos no esquema de corrupção da Petrobras. Um acordo firmado entre Brasil e Suíça promete facilitar as investigações da operação #Lava Jato em relação ao envio de documentos, extratos e informações de contas bancárias na Suíça de políticos, doleiros e empresários acusados de envolvimento no maior esquema de corrupção da história do Brasil.

Através desse acordo firmado entre o Procurador Geral da República, Rodrigo Janot e Michael Lauber, que exerce a mesma função de Janot na Suíça, a partir de agora, haverá uma avalanche de dados de transações bancárias vindas da Suíça para o Brasil, que poderão ser utilizadas nos processos judiciais como provas para incriminar os investigados na operação Lava Jato.

Publicidade
Publicidade

800 milhões de dólares estão bloqueados em mais de mil contas na Suíça

Uma informação impressionante divulgada pelos suíços é que já houve o bloqueio de mais de mil contas de políticos, doleiros e empresários acusados de envolvimento no esquema de corrupção da Petrobras.

Após esse acordo, as provas que levariam anos para chegar ao Brasil agora podem chegar em bem menos tempo, facilitando assim o trâmite dos processos e posterior julgamento e prisão dos acusados no esquema de desvio de dinheiro público.

Investigação deverá traçar a origem dos 800 milhões

Segundo investigadores uma longa e complicada jornada será iniciada após o recebimento das informações bancárias vindas da Suíça. A investigação da verdadeira origem do dinheiro poderá levar meses, senão anos, para ser finalizada. O que dificultará a investigação é a rede complexa que se formou de offshore, doleiros e intermediários identificadas na operação Lava Jato.

Publicidade

O início das investigações será feito por meio de análise de envolvidos que sonegaram impostos, a simples detecção desse crime irá gerar um inquérito policial.

Por enquanto, não foram divulgados os nomes dos envolvidos, porém, segundo reportagem do Jornal Estadão, a lista enviada ao Brasil “abarca todo o cenário partidário brasileiro”. #Polícia Federal