Após a votação ainda nessa semana, na Câmara de Deputados, para definir os mais de 60 deputados que vão analisar o processo do pedido de #Impeachment da presidente Dilma, foi constatado que um terço deles passa por investigação por crimes no Superior Tribunal Federal. Foram escolhidos 65 deputados para formarem a Comissão Especial Instalada, e, desses, 21 estão respondendo a variados inquéritos no STF, por acusações de diversos atos de corrupção. Outros deputados, desses 21, estão na qualidade de réus (quando são chamados pela Justiça para responderem por ação cível ou por algum crime que tenham cometido).

O pedido de impeachment à presidente Dilma, aceito pelo presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), já no final do ano passado, baseia-se em crime de responsabilidade cometido pela petista, durante os anos de 2014 e 2015, e, também, por algumas manobras fiscais, que ficaram conhecidas como ‘'pedaladas fiscais''.

Publicidade
Publicidade

Os crimes supostamente cometidos pelos deputados têm a ver com crimes contra a Lei de Licitações, peculato, lavagem de dinheiro, corrupção, ocultação de bens e tantos outros, que podem ser consultados logo mais abaixo.

Deputados que enfrentam suspeitas de crimes do Partido Progressista, PP

Aguinaldo Ribeiro (PB), Júlio Lopes (RJ), Jerônimo Goergen (RS), Roberto Brito (BA) e Paulo Maluf (SP).

Deputado do PMDB

Washington Reis (RJ) está respondendo a oito acusações na justiça.

Deputado do PSDB

Nilson Leitão (MT), também está enfrentando problemas na Justiça, no caso dele, há sete inquéritos envolvendo o seu nome.

Mais deputados enfrentando problemas na Justiça

Paulo Magalhães (PSD-BA), Junior Marreca (PEN-MA), Weverton Rocha (PDT-MA), Edio Lopes (PR-RR), Paulinho da Força (SD-SP), Benito Gama (PTB-BA.

Publicidade

Muitos casos passaram pela Procuradoria Regional da União e outros estão no STF.

Acompanhe alguns dos casos:

Inquérito 3989 – Roberto Brito (BA), Aguinaldo Ribeiro (PB), Jerônimo Goergen (RS), Partido: PP

Inquérito 3995 – Deputado do PT, José Mentor (SP), (Lava Jato).

Acompanhe o restante dos inquéritos e seus números:

Washington Reis (PMDB-RJ): 3762, 3938, 4205, 3738 e 3554.

Marco Feliciano (PSC-SP): 3646 – (divulgação de vídeos em rede social com conteúdo difamático)

Paulo Pereira da Silva (SD-SP): 2905 e 3901.

Junior Macarreca (PEN-MA), réu. AC: 977

Bacelar (PTN-BA): 3934

José Mentor (PT-SP): 3995

Vicente Cândido (PT-SP): 4138

Edio Lopes (PR-RR): réu, AC: 940

Paulo Magalhães (PSD-BA): réu, AC: 896

Nilson Leitão (PSDB-MT): 3492, 3629, 3331, 3631, 3632, 3630 e 3711.

Shéridan (PSDB-BA): 3975 e 4036.

Danilo Forte (PSB-CE): 3317

Alex Manente (PPS-SP): 4007

Weverton Rocha (PDT-MA): réu, AC: 683

Aguinaldo Ribeiro (PP-PB): 3146 e 3989

Jerônimo Goergen (PP-RS) e Roberto Brito (PP-BA): 3989

Júlio Lopes (PP-RJ): 3414

Paulo Maluf (PP-SP): 3601. Réu AC: 968.

Créditos: Portal R7. #Dilma Rousseff #Câmara dos Deputados