Delcídio do Amaral, quando era líder do governo, tinha uma grande atuação nos assuntos prioritários que envolvia a presidente #Dilma Rousseff. Ele presidia a Comissão de Assuntos Econômicos do Senado e era o principal estrategista determinado a impedir que a Operação Lava Jato tivesse acesso à cadeia de comando do "petrolão". Em decorrência de fatos investigados na Operação Lava Jato, Delcídio foi preso e acabou sendo ignorado por Lula, que inclusive o chamou de "imbecil". A fúria tomou conta do senador, que decidiu entregar às autoridades tudo o que estava ligado à Dilma e Lula durante esse período de treze anos de harmonia e amizade entre eles.

Publicidade
Publicidade

Em sua delação premiada, o senador afirma que Lula e Dilma sabiam de todo o esquema de #Corrupção. A delação de Delcídio do Amaral foi homologada nesta terça-feira (15) pelo juiz Teori Zavascki, do STF.

Compra do 'silêncio'

Aloizio Mercadante, um dos ministros mais próximos de Dilma, prometeu dinheiro e ajuda a Delcídio desde que o senador não "desestabilize tudo". Essas conversas ocorreram entre Mercadante e o assessor de Amaral, José Eduardo Marzagão, pois o senador já estava sob a custódia da polícia. Margazão gravou os diálogos e Delcídio levou à Procuradoria-Geral da República, dizendo que  Mercadante o procurou a mando de Dilma. Delcídio relata ainda que eles queriam obstruir a justiça e comprar o seu silêncio. Nas gravações, Mercadante oferece ajuda à família de Delcidio, promete evitar a cassação dele e sua libertação através de influências do governo.

Publicidade

Plano de Mercadante

Mercadante, nos diálogos com o assessor de Delcídio, tinha planos de conseguir liberdade para o senador através de uma liminar deferida pelo Presidente do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski, durante o recesso de final de ano. Mercadante também cita outro ministro do STF e comenta que a ideia é fazer com que o Senado faça uma moção a Teori Zavascki tentando construir uma saída com o STF. Porém Teori negou habeas corpus e o plano de Mercadante foi "por água abaixo". Mercadante, na gravação, critica o próprio partido (PT) e avisa que fará acordos com Renan Calheiros para garantir ao senador Delcídio um relaxamento da prisão. #Senado Federal