O ex-presidente Lula teve dois dias de extrema tensão após a delação do senador Delcídio do Amaral e da 24ª Operação Lava Jato contra si. Para completar a repercussão e o aparente inferno astral que #Lula passa, um vídeo gravado pela deputada do PC do B Jandira Feghali no momento em que Lula conversava com a presidente #Dilma Rousseff vazou.

Aparentando certa irritação durante a conversa com a presidente da República, Lula, em um momento de clara revolta, afirmou: “que eles enfiem no c... todo o processo”.

A afirmação foi feita durante um vídeo gravado e compartilhado pela própria deputada, que pretendia tranquilizar os simpatizantes do ex-presidente quanto ao seu estado psicológico depois de horas de depoimento cedido à Polícia Federal.

Publicidade
Publicidade

Durante a gravação, foi a própria deputada quem confirmou que a ligação era com a presidente da República.

Assista ao vídeo.

O vídeo foi gravado neste sábado (5), antes da presidente Dilma embarcar para São Paulo. A presidente se encontrou com Lula no apartamento do ex-presidente em São Bernardo do Campo, região do Grande ABCD de São Paulo, e mostrou solidariedade a seu padrinho político. Os petistas saíram na varanda e acenaram para os muitos militantes que se encontravam na rua para apoiar o ex-presidente.

Sexta-feira caótica

Lula foi surpreendido no raiar do dia pela Polícia Federal batendo em sua porta com um mandado de condução coercitovo, ou seja, estava autorizada a utilizar da força bruta caso o ex-presidente se recusasse a acompanha-los para prestar depoimento.

Lula condenou a ação do juiz Sergio Moro de autorizar um mandado de condução coercitiva, afirmou que bastava ser convidado a depor que iria se apresentar, como já teria feito outras vezes, segundo o ex-presidente.

Publicidade

Afirmou também que a ação foi apenas um ato “pirotécnico” para chamar a atenção da mídia. Para finalizar, o ex-presidente se disse mais vivo do que nunca e que agora irá para as ruas, se colocando muito fortemente como um possível candidato a presidência da República no pleito de 2018.