Ontem, dia 8 de abril, tiveram início os debates na comissão do impeachment, os quais invadiram a madrugada. Deputados a favor e contra o governo opinaram, houve bate-boca, muitas discussões e um clima de guerra foi criado no campo político do Brasil. A situação é realmente tensa, uma vez que há várias suspeitas de tentativa de compra de votos por parte do ex-presidente Lula, o qual oferece cargos e dinheiro em troca de votos contra impeachment. Segundo o jornalista do jornal O Globo, Ricardo Noblat, o governo está oferecendo um milhão para cada deputado e cargos também, além de quatrocentos mil reais caso o parlamentar não compareça na sessão de domingo da Câmara, que vai começar a definir o processo de impeachment da presidente Dilma.

Publicidade
Publicidade

Segundo a revista ISTO É, a presidente está tomando remédios fortes para suportar toda a pressão.

A discussão é muito forte entre situação e oposição. Acusações de parte a parte, insinuações que parlamentares do PSDB e PMDB estão envolvidos em recebimento de propinas, investigadas pela operação Lava Jato, todo este cenário cria um clima muito ruim para todos. O país passa por este momento turbulento, mas, para a democracia, é fundamental que as instituições estejam funcionando, entretanto, segundo a oposição, as instituições estão sob suspeita. Fatos sustentam que, quando o PT foi oposição, eles tentaram vários processos de impeachment contra Fernando Henrique Cardoso, Itamar Franco e Collor. Assim, a oposição tem atacado o governo que agora virou 'vidraça'.

No primeiro debate de ontem, foram registradas inscrições de 116 deputados na lista de discursos, sendo 72  a favor do processo de impeachment e 46, contra.

Publicidade

Na segunda feira, os líderes de cada partido vão fazer os discursos defendendo suas ideias. Segundo cálculos de jornalistas, o governo não está conseguindo os 171 votos necessários para barrar o processo na Câmara. Se aprovado no dia 17, uma nova discussão será feita no Senado, onde presidente, Renan Calheiros, já avisou que não tem como barrar o processo. Até esta data teremos discussões acirradas e a população está prometendo uma grande manifestação em todo o país, exigindo que os parlamentares aceitem o impeachment da presidente. #Dilma Rousseff #Corrupção #Crise no Brasil