O juiz Sérgio Moro, que lidera o andamento da operação “#Lava Jato” em Curitiba (Justiça do Paraná), voltou a mencionar o ex-presidente da República, Luiz Inácio #Lula da Silva (PT), duas semanas depois de divulgar uma série de áudios, gravados por meio de grampos telefônicos, de conversas envolvendo Lula e os seus aliados, como o presidente do PT, Rui Falcão, o agora ministro-chefe do gabinete da presidência, Jaques Wagner, e a própria presidenta da República, Dilma Rousseff.

A divulgação gerou bastante discussão no país, tanto entre a população, como também entre juristas e demais especialistas. Agora, Lula foi citado em trechos do despacho feito por Sérgio Moro nesta sexta, 1º, que dá início a 27ª fase da “Lava Jato”, batizada como “Carbono 14”.

Publicidade
Publicidade

Nesta nova fase, outras prisões e conduções coercitivas foram determinadas por Moro, que reproduz, em seu despacho apresentado ontem, certos depoimentos de envolvidos nas investigações que citam o ex-presidente Lula.

Apesar de citar Lula no despacho, Moro terá mesmo que enviar todas as investigações da “Lava Jato”, referente ao ex-presidente, para o STF, que exigiu o envio por meio de decisão do ministro Teori Zavascki, e apoiado pelos demais ministros em votação (8 a 2) realizada na última quinta-feira, 31. #Investigação Criminal