Na véspera da votação sobre o pedido de #Impeachment, parece que de nada adiantou o esforço que o ex-governador e ex-ministro Cid Gomes fez para cravar, na bancada de deputados federais cearenses, a maioria a favor de Dilma. Com a crescente fragmentação da base política do #Governo, o apoio 'costurado' por Cid e pelo atual governador Camilo Santana (PT-CE), parece que não resistiu por muito tempo.

O 'golpe' que veio acabar de vez com as esperanças do ex-governador em assegurar um apoio ao governo de Dilma, foi dado com a saída do PP da base aliada do governo. O rompimento da legenda  veio com a devolução de cargos ao Palácio do Planalto.

Publicidade
Publicidade

Tal comportamento foi seguido por outros partidos. Depois foi a vez do PRB. Na última quarta-feira, dia 13, o PROS fechou posição a favor do impeachment e mandou um recado aos seus integrantes que adotassem tal postura, caso contrário, seriam expulsos da sigla. Foi uma mensagem direta para o deputado Odorico Monteiro, que sempre militou na legenda de Dilma e, apesar da mudança, vacilava em manter apoio ao partido de Lula, numa posição dissidente. O certo é que a mudança contribui para o desespero de Camilo e do irmão de Ciro Gomes.

A virada deverá ser coroada nesta quinta-feira, dia 14, com o anúncio em favor da saída de Dilma pelo PSD e pelo PTB, do deputado Arnon Bezerra, que antes vacilava diante de tal postura. Com este fato, vão por água abaixo todas as esperanças dos irmãos Ferreira Gomes e seus aliados de uma frente no estado contra o impeachment.

Publicidade

O placar que antes marcava 14 a 8 a favor da presidente, deu uma inesperada guinada e passa a contabilizar 12 a 10 votos a favor do impeachment.

Com esta alteração, o placar da bancada cearense na Câmara assume uma nova configuração. Veja a seguir como fica os votos dos parlamentares.

Votos a favor do impeachment:   

PMDB: Aníbal Gomes, Moses Rodrigues e Vitor Valim

PSDB: Raimundo Gomes de Matos

PR: Cabo Sabino, Gorete Pereira

PRB: Pastor Ronaldo

PROS: Odorico Monteiro

PTB: Arnon Bezerra

PSB: Danilo Forte

DEM: Moroni Torgan

SOLIDARIEDADE: Genecias Noronha

Votos contra o impeachment:

PT: Luizianne Lins, José Guimarães e José Airton

PC do B: Chico Lopes

PSD: Domingos Neto

Mesmo com o placar a favor do afastamento de Dilma já definido, alguns parlamentares que devem votar contra a mesma, ainda correm o risco de mudar de posição. São eles: Paulo Henrique Lustosa e Macedão, ambos do PP e Ariosto Holanda, Vicente Arruda e Leônidas Cristino, todos filiados ao PDT de Cid Gomes. Mesmo decidindo apoiar o governo, no último momento, o voto dos indecisos não vai influenciar a situação desfavorável à petista. #Dilma Rousseff