O #Impeachment foi aprovado para votação pela comissão especial por 38 votos a favor e 33 contra após as sessões ordinárias em que foi discutido o caráter do processo. Em uma das sessões, a deputada federal e ex-governadora do Rio de Janeiro, Benedita da Silva, pediu respeito aos demais parlamentares.

O discurso de ódio proferido pela oposição é o motivo da fala da deputada. Benedita pede respeito aos parlamentares e diz que tem orgulho da representação simbólica do 'pão com mortadela' referente aos militantes do Partido dos Trabalhadores (PT). O discurso aconteceu durante a votação da Comissão Especial do impeachment.

Benedita se orgulha da trajetória do PT

Durante a discussão do impeachment, Benedita Silva lembrou aos demais parlamentares, a falta de respeito que acontece quando ataques são proferidos a políticos, militantes e simpatizantes do PT.

Publicidade
Publicidade

Além de nomes como 'petralhas', 'comunistas' e outros adjetivos pejorativos, diversos manifestantes e políticos atacam pessoas ligadas ao PT. É comum encontrarmos deputados e parlamentares segurando cartazes e discursando em vídeos adjetivos pejorativos ligados ao PT.

Benedita lembrou desses fatos ao falar que se orgulha do pão com mortadela, outro adjetivo utilizado por alguns parlamentares. A deputada lembrou que essa refeição simboliza a população brasileira, que muitas vezes não tinha o que comer. " Me dói muito nos chamarmos de quadrilha, de bando e de ladrões... Eu não me envergonho de ser do PT, e nem me envergonho de estar defendendo a presidente Dilma Rousseff, e nem do pão com mortadela, por que ele faz parte da vida de milhares e milhares de vida de pessoas, que nunca tiveram nada para comer e que no momento de desespero, quem chegasse com uma mortadela, estava chegando presunto parma para aquelas pessoas.

Publicidade

Então, a simbologia da mortadela, quando aqui as pessoas colocam jocosamente, é porque elas não sabem, nunca  passaram fome,'' declara a deputada federal. Assista o vídeo:

Após o seu discurso a deputada foi aplaudida por parte dos parlamentares da comissão Especial que aprovou o pedido de impeachment. O pedido segue agora para votação no dia 17 de abril, onde os deputados federais vão decidir pelo afastamento ou continuação da presidente Dilma Rousseff. #Manifestação #Lava Jato