A tensa votação do impeachment de Dilma Roussef foi recheada de discursos calorosos, ao menos para dois deputados federais, Jair Bolsonaro (PSC) e Jean Wyllys (PSOL), a história desse icônico dia renderá novos capítulos.

Bolsonaro polemizou em seu discurso ao exaltar personagens da ditadura militar, dentre eles o comandante do Doi-Codi, órgão de repressão do Exército Brasileiro que atuou em torturas no período em que comandavam a nação, esse órgão foi acusado por diversas vítimas da época do período da ditadura.

De posicionamentos contrários e adversários políticos pertencentes ao estado do Rio de Janeiro. Bolsonaro e Wyllys ficaram lado a lado no grupo que contemplava todos os deputados federais fluminenses.

Publicidade
Publicidade

Jean discursou na tribuna após a manifestação de Bolsonaro.

Em seu discurso, Jean chamou de "canalhas" os defensores do "golpe". No momento da fala de Jean o placar da votação já começava a dar sinais de derrota dos governistas.

Após a fala de Wyllys, segundo a versão do próprio, Bolsonaro o teria proferido xingamentos e ofensas pessoais, ao que mediante essa situação ele cuspiu em Jair. Bolsonaro afirmou que em momento algum ofendeu Jean e disse que as câmeras podem comprovar isso. O deputado alega ainda que outros três deputados federais foram atingidos pela saliva de Wyllys.

"Outros deputados saudaram Che Guevara e Marighella. Estou no outro lado da moeda.(...) Temer não é o melhor, mas é preciso mudar", a respeito da situação envolvendo Wyllys, Jair declarou: "Não xinguei e nem o segurei, para que vou chutar cachorro morto?"

Ainda com relação ao episódio protagonizado por ambos e registrado pelas câmeras, Jean postou em sua conta no Twitter que cuspiu sim em Jair Bolsonaro e o acusou de ser "fascista e homofóbico", Wyllys afirmou que não se arrepende do que fez e que faria novamente.

Publicidade

A candidatura de Jair Bolsonaro à presidência da República em 2018 é tida como certa, o deputado desfiliou-se do 'Partido Progressista' e ingressou no Partido Social Cristão vislumbrando a possibilidade da candidatura. Imediatamente após seu discurso, Jair 'faturou' mais 100 mil seguidores em sua conta. #Governo #Impeachment #Crise-de-governo