Os deputados Eduardo Bolsonaro e Jean Wyllys têm protagonizado embates contundentes, tanto em Brasília quanto em redes sociais. Conhecidos por terem posições antagônicas, ao menos em um fato os políticos se uniram: a polêmica questão da #Internet limitada no Brasil.

A inédita “união” entre o PSOL - Partido Socialismo e Liberdade, definido como um partido de esquerda, que faz oposição ao Governo federal, porém, é contrário ao Impeachment, e o PSC - Partido Social Cristão, de viés direitista, ocorre no contexto da Câmara dos Deputados, a mesma que foi o cenário da “troca de cuspes”, durante a votação do criticado processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff.

Publicidade
Publicidade

Vivo e o bloqueio

Aos que desconhecem o fato, recentemente, a empresa de telecomunicações Vivo comunicou que iria adotar o esquema de franquia para a internet fixa, e que iria bloquear ou diminuir, de maneira significativa, a velocidade dos usuários que consumissem todo o pacote contratado.

A afirmativa gerou uma revolta em série entre os usuários de internet, que reclamam do serviço ruim da internet no Brasil, além do preço ser absurdamente elevado em comparação a outros países.

O clima “esquentou” ainda mais, quando tanto a Vivo quanto a Anatel, Agência Nacional de Telecomunicações, responsável por regulamentar serviços de internet e telefonia, concordaram que o bloqueio e franquias não ferem o Marco Civil da internet.

Além de uma petição na internet, que, até o momento, já atingiu mais de 1,6 milhão de assinaturas, a notícia motivou um ataque de hackers ao site da Anatel, dificultando o acesso e derrubando o site do ar por vários períodos.

Publicidade

Em vídeo publicado no YouTube, o coletivo de hackers “anonymous” declarou “guerra contra as operadoras”, além de postar em um fórum da internet o passo-a-passo de como realizar ataques de negação de serviço distribuída, um artifício que sobrecarrega sites e os tira do ar.

Wyllys e Bolsonaro em sintonia

Os dois políticos se posicionaram contra o bloqueio e franquia. Jean Wyllys declarou a criação do PL 5094/2016, Projeto de Lei que “proíbe a redução de velocidade, a suspensão do serviço ou qualquer forma de limitação, total ou parcial, de tráfego de dados de internet fixa, residencial ou empresarial”.

Já Bolsonaro “filho” afirmou que existe um Projeto de Emenda à Constituição, que visa barrar a limitação da internet. #Crise no Brasil #Dentro da política