A Medialogue, empresa de comunicação digital, fez um monitoramento na semana passada, e comunicou que o deputado federal Jair Bolsonaro está com 2,7 milhões de seguidores em seu Facebook. Essa marca de Bolsonaro chama a atenção por um motivo em especial: o deputado federal conseguiu ultrapassar Dilma Rousseff em 40 mil seguidores a mais que a presidente. Jair Bolsonaro é grande crítico da presidente e se mostra a favor do afastamento dela pelo #Impeachment, além disso é ídolo das pessoas que estão desfavoráveis ao #Governo

Discussão

Na sexta-feira passada (1), em Vitória, Espírito Santo, o deputado Bolsonaro participou de uma palestra no Clube Oficial da Polícia Militar.

Publicidade
Publicidade

Nesta palestra, o deputado respondeu várias perguntas sobre política. Um jovem, que estava na platéia, perguntou ao deputado, o motivo de existirem tão poucos negros na palestra dele, sendo que a maioria da população brasileira é negra, completou o jovem. E continuando a sua indagação, o jovem também questionou Bolsonaro, a respeito do motivo dele estar dando entrevistas numa instituição que já cometeu chacinas, como a da Candelária.

O deputado Jair Bolsonaro ficou extremamente irritado com as perguntas do jovem e respondeu para ele, se em algum lugar do auditório tem placas dizendo que não é permitido a entrada de pessoas negras. Jair foi acalmado por um assessor. Bolsonaro disse que já conhecia os efeitos de um debate e perguntas que apareceriam com o intuito de perturbar os ânimos, e ainda revelou que o jovem tinha o direito de falar o que quisesse, porém, pediu para ele calar a boca, pois queria continuar a sua fala e o jovem deveria ter educação.

Publicidade

Impeachment

O deputado federal Bolsonaro foi recebido por uma multidão em um ato, na praia do Camburiú, Santa Catarina, na quinta (31), a favor do afastamento da presidente Dilma Rousseff. Nesse ato, o deputado federal, Carlos Manato, que estava ao lado de Bolsonaro, disse que não concorda com a política do PT, onde todo mundo se diz "coitadinho" e "pobrezinho". Carlos Manato também defende o impeachment como solução para a crise no Brasil. #Eleições