De acordo com a Folha de São Paulo, a Câmara dos Deputados já teria os votos suficientes para aceitar o pedido de #Impeachment da presidente da República #Dilma Rousseff (PT). Segundo pesquisa do jornal, até o fim da tarde de ontem, sexta-feira, 15 de abril, 342 deputados afirmaram em entrevista que vão votar a favor do afastamento de Dilma neste domingo, 17. O número já é o necessário para que o impeachment da presidente seja mesmo aprovado pela Câmara.

Caso a pesquisa da Folha se concretize na votação de amanhã, que será realizada à tarde no plenário da Câmara dos Deputados, o processo de impeachment seguirá em andamento e passará para ser avaliado e votado pelo Senado.

Publicidade
Publicidade

Ao todo são 513 deputados federais que votarão neste domingo. Ainda segundo a pesquisa da Folha, apenas 124 parlamentares garantiram que vão votar contra o impeachment de Dilma Rousseff. Além disso, 20 deputados se colocaram como indecisos, e outros 20 optaram em não manifestar antecipadamente os seus votos.

Se o processo partir mesmo para o Senado, será preciso que metade dos senadores (41 dos 81) vote a favor do pedido de impeachment para que este prossiga em andamento até o julgamento final. Caso este número seja alcançado, Dilma Rousseff será afastada do comando do Palácio do Planalto por 180 dias, e o vice-presidente da República Michel Temer (PMDB) assumirá em seu lugar até que o processo de impeachment seja concluído. Segundo levantamento da Folha, até o início da noite desta sexta-feira, 45 senadores já afirmaram que vão votar a favor do afastamento de Dilma da presidência da República, o que já garante o andamento do processo até o parecer final.

Publicidade

Ainda de acordo com a pesquisa em relação aos votos do Senado, 19 senadores garantiram que votarão contra o impeachment. Já 5 se colocaram como indecisos, outros 7 preferiram não expor os votos e 5 não responderam a pergunta dos jornalistas da Folha. Na votação final, se ela vier a ocorrer, depois dos 180 dias de avaliação do caso feito pela comissão do Senado, será preciso que, ao menos, 54 senadores votem a favor do impeachment para que este seja aprovado.

“Tudo será decidido no domingo”, diz cientista político

O sociólogo e cientista político Jaime Pondé afirma que a pesquisa da Folha dá um parâmetro da situação, mas não determina o que vai acontecer na votação deste domingo.

“Pesquisa é pesquisa, política é política. O mesmo deputado que disse ontem para a Folha que vai votar a favor do impeachment pode receber uma ligação horas antes da votação e, opa, votou contra... Entende? A pesquisa serve para nos dá um parâmetro da situação, que é sim desfavorável ao governo, mas isso é notícia para jornal e não determina o que vai, de fato, acontecer na votação.

Publicidade

A verdade é que o jogo político já foi escancarado. Ambos os lados estão se lixando para a opinião pública, o que interessa agora é a cadeira principal no Palácio do Planalto. Daqui para domingo muita água, bastante suja, ainda vai rolar, esteja certo disso.”, afirma Pondé.

“Desde que Lula assumiu o país em 2003, nunca a oposição esteve tão perto de acabar com o domínio petista na política brasileira como agora. E eles vão fazer o que for possível para isso acontecer. O governo parece frágil e indefesso, mas não está morto e ainda tem as suas armas. O que me entristece é que, nesta disputa política, a última coisa que ambos os lados pensam é nos interesses do povo, que está à margem disso tudo, cada vez mais apático e alienado.”, lamenta o especialista. #Crise-de-governo