O discurso de defesa contra o impeachment da presidenta da República #Dilma Rousseff, feito ontem, 04, pelo atual advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo, na Câmara dos Deputados em Brasília, já vem gerando bastante discussão nos bastidores políticos na capital federal.

Dentre os incomodados com o discurso de Cardozo, o primeiro a se pronunciar publicamente foi o atual presidente da Câmara, #Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que rebateu a acusação feita pelo ex-ministro da Justiça de Dilma, de que teria aceitado o pedido de impeachment contra a presidenta petista apenas como forma de “vingança” e “retaliação” ao Partido dos Trabalhadores, por não ter tido o apoio do governo na votação do conselho de ética da Câmara, em dezembro passado, que apura o pedido de cassação de Cunha da presidência da casa.

Publicidade
Publicidade

De acordo com a resposta de Eduardo Cunha, o advogado José Eduardo Cardozo “faltou com a verdade” em seu pronunciamento de ontem na Câmara. Cunha disse ainda que não iria ficar de “bate boca” com Cardozo, e que o mesmo tinha era que se dedicar a “apresentar uma defesa plausível” para impedir a abertura do processo de #Impeachment da presidente Dilma Rousseff.