Delcídio do Amaral, senador (sem partido) concluiu que, apesar do senado já possuir os votos para afastar #Dilma Rousseff, o governo interferirá junto a Renan Calheiros, que já declarou ser contrário ao impeachment, para atrasar o processo, numa tentativa de derrubar Michel Temer e Eduardo Cunha, desconstruindo a imagem de 'bom moço' dos dois. Em entrevista exclusiva à Isto é, Delcídio questiona as investigações em curso, nas quais Aloísio Mercadante é acusado  de obstruir a justiça a mando da Presidente Dilma e diz que, por muito menos, enfrentou a prisão e, enquanto isso, Aloísio, que teria cometido um crime muito mais grave e já deveria estar preso, assim como ele, está impune.

Publicidade
Publicidade

Diz ainda que Aloízio Mercadante não faz nada sem que Dilma mande e que Aécio Neves do PSDB é alvo de acusações de 'ouvir falar' que não foram provadas.

Cenário atual do impeachment

De acordo com Delcídio, o cenário atual no senado em relação ao #Impeachment é favorável pois o senado já possui os votos suficientes. Disse ainda que é preciso trabalhar para que se conclua o impeachment com os 54 votos necessários. O único impedimento agora seria o tempo previsto para o julgamento, que está marcado para 12 de maio e, ainda, segundo ele, três semanas é tempo demais para o país esperar. Não haverá importação, exportação nem investimento durante este período. No entanto, Delcídio acha que o senado está se consolidando para o afastamento da Presidente Dilma Roussef. Enquanto isso, o governo joga forte contra o vice Michel Temer, mas ele acredita que o governo não conseguirá o número de votos suficientes para barrar o impeachment de Dilma.

Publicidade

Em sua conclusão, Delcídio diz que o governo não tem mais capacidade de gestão política, e que  falou com deputados que se reuniram com a Presidente nesses últimos dias, os quais disseram que Dilma desconhece até o nome dos respectivos deputados que a procuraram, ou seja, Dilma não consolidou no seu governo uma aliança forte para barrar seu impeachment e, além disso, tem o agravante da crise econômica e os desdobramentos da operação #Lava Jato. Portanto, de acordo com o senador, com este cenário, o governo não vai sobreviver.

Conclusões sobre a Lava Jato

Delcídio do Amaral diz que não saberia avaliar até onde a operação Lava Jato chegaria, pois, com a gravação feita pelo assessor José Eduardo Marzagão sobre a tentativa de Aloízio Mercadante de comprar o seu silêncio, não entende porque este caso, que já tem jurisprudência na suprema corte e configura, sem sombra de dúvidas, o crime de obstrução da justiça, ainda não teve um desfecho de punição contra o ministro. Na sua opinião, está tudo muito descompensado em relação à sua prisão por um motivo muito menos grave. Diz ainda que vai ajustar sua delação na busca da verdade para não cometer injustiças.