A deputada federal Raquel Muniz (PSD/MG) deu um dos votos mais empolgados durante a sessão da Câmara dos Deputados que deu prosseguimento ao #Impeachment da presidente Dilma Rousseff no último domingo (17). Muniz dedicou seu voto ao seu marido, o prefeito de Montes Claros, Ruy Andrade Borges Muniz (PSB/MG), e afirmou que ele é um exemplo de gestão para o Brasil. O problema se deu no dia seguinte: o marido da deputada foi preso pela Policia Federal na Operação Máscara da Sanidade II – Sabotadores da Saúde.

Segundo as investigações feitas pela Polícia Federal, havia um esquema de corrupção na saúde do município. O prefeito Ruy Muniz e a secretária de Saúde de Montes Claros, Ana Paula Nascimento, são acusados de por meios fraudulentos inutilizar os hospitais Universitário Clemente Faria, Santa Casa, Aroldo Tourinho e Dilson Godinho.

Publicidade
Publicidade

O objetivo dessas fraudes era oferecer vantagens ao Hospital das Clínicas Mario Ribeiro da Silveira. A PF informou que o prefeito e sua família são os donos do hospital que receberia as vantagens.

Foram expedidos quatro mandados de busca e apreensão para a sede da prefeitura, a secretaria de Saúde e a casa dos envolvidos. O prefeito foi preso em Brasília, onde acompanhava sua esposa, e deve chegar ao município de Montes Claros ainda nesta segunda-feira (18). Também foi expedido mandado de prisão preventiva para a secretária de saúde.

Ambos devem responder por falsidade ideológica majorada, dispensa indevida de licitação pública, estelionato majorado, prevaricação e peculato.

Voto da deputada

A deputada Raque, como muitos parlamentares, resolveu discursar antes de declarar seu voto em homenagem a familiares.

Publicidade

Foram muitas as “homenagens” para netos (as), filhos (as) e esposas (os), além de torturados da ditadura militar, como homenageou o deputado Bolsonaro, ou Deus.

A parlamentar resolveu chamar a atenção para a gestão de seu marido, e afirmou que ele é um exemplo de como o Brasil tem jeito.

Assista ao voto empolgado da deputada Raquel Muniz em que ela homenageia o seu marido, que posteriormente foi preso.

#Dentro da política #Crise-de-governo