Estava tudo pronto para o pronunciamento de Dilma Rousseff na televisão e nas rádios na noite desta sexta-feira (15). O discurso seria às 20 horas e nas redes sociais uma parte da população já estava se mobilizando para realizar o maior panelaço já visto até hoje, só que a presidente não vai mais falar.

Dilma ia fazer seu pronunciamento em rede nacional de rádio e TV para pedir apoio contra seu impeachment, mas ela foi orientada por José Eduardo Cardozo, advogado geral da União, para que desistisse desta ideia porque certamente teria problemas com a Justiça. Este espaço só deve ser utilizado pela presidente para pronunciamento institucional e ela queria usá-lo para fazer campanha política e defender seu mandato.

Publicidade
Publicidade

Auxiliares da petista também foram contra o depoimento na noites desta sexta-feira porque no domingo será a votação no plenário da Câmara e quando Dilma aparecesse na TV ia disparar um imenso protesto por todo o Brasil, com muito panelaço e a mídia ia dar mais cobertura ao protesto do que seu pronunciamento, o que acabaria manchando ainda mais sua imagem já tão desgastada.

A princípio foi planejado fazer a gravação da presidente se defendendo e divulgar nas redes sociais, mas isso iria gerar protesto, então optou-se por divulgar a gravação no rádio e na TV, mas o advogado alertou-a que poderia ter problemas com a Justiça, agora a petista volta a planejar divulgar o vídeo na internet.

De acordo com a Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, ainda não tem uma data certa para a divulgação do vídeo gravado por Dilma na manhã desta sexta, mas tudo indica que no máximo até sábado já esteja circulando nas redes sociais, já que no dia seguinte será a votação.

Publicidade

Mesmo assim, será preciso fazer alguns ajustes no vídeo, pois o conteúdo do jeito que está traria mais prejuízos para a presidente, ao invés de ajudá-la a ter o apoio que tanto precisa.

Inclusive a oposição entrou com uma ação na Justiça para impedir o pronunciamento, mas nem foi preciso, porque o próprio advogado de Dilma alertou que ela estaria agindo contra a lei. #Dilma Rousseff #Crise #Protestos no Brasil