Com o final de semana agitado e com reuniões, o governo #Dilma Rousseff busca aliados para que consigam evitar a derrota contra o #Impeachment da presidente nesta semana decisiva. A oposição acredita na vitória em decorrência as investigações das Operações Lava-Jato e avalia que o método do governo de procurar aliados mostra que a presidente está isolada e deliberadamente fraca. Em Brasília, onde acontece a Comissão do Impeachment, dos 65 deputados presentes, 35 são a favor do processo, segundo levantamentos não oficiais.

A oposição quer que nesta próxima sexta-feira (15) o plenário dê segmento ao afastamento da presidente da República.

Publicidade
Publicidade

Para que seja aprovado no plenário da Câmara, serão necessários 342 votos dos 513 parlamentares. O deputado Paulo Teixeira do PT disse que o placar será estreito e o vice-líder do governo Silvio Costa acredita que irão "perder ganhando". 

Por meio de um painel eletrônico é que serão computados os votos sem ter a necessidade de chamada nominal, a base aliada ao governo acredita que desta forma os deputados da oposição não pressionariam o voto a favor do impeachment, só será feita a chamada nominal caso o painel eletrônico esteja indisponível. O presidente da Comissão Especial é o deputado Rogério Rosso (PSD-DF).

Estratégias

A oposição ao governo tenta convencer os deputados a votarem a favor do impeachment, enquanto os aliados ao governo utilizam a estratégia de orientar os deputados a não comparecerem a comissão, o deputado Washington Reis está internado com gripe H1N1 e ele é um dos oito deputados indecisos da comissão, então, o deputado Marx Beltrão (PMDB-AL) votará no lugar de Reis, sendo que Beltrão é aliado ao governo.

Publicidade

Já Valtenir Pereira (PMDB-MT) está indeciso, porém disse que não irá faltar na comissão, e se caso não tomar uma posição, irá se privar, resolvendo somente no plenário. 

Antonio Imbassahy, líder do PSDB, disse que a oposição está em progresso e que a última semana é vista com otimismo devido a delação de Otávio Azevedo em que foi divulgado alguns trechos, isso fez com que os deputados indecisos considerarem o afastamento da presidente Dilma.  #Crise no Brasil