Contando com um apoio cada vez mais frágil, a presidente Dilma, usa todas as suas cartas na tentativa de barrar o #Impeachment na Câmara dos Deputados, onde haverá a votação sobre a seu afastamento no próximo domingo (17).

Segundo o portal de notícias G1, a presidente #Dilma Rousseff exonerou os ministros que são deputados federais, para que possam exercer o cargo e votarem contra o processo de impeachment.

Exoneração

A exoneração temporária, daqueles que ocupam o cargo de deputados federais, visa conseguir mais alguns votos contra o processo de impeachment que acontecerá em Brasília no domingo. A exoneração feita pela presidente saiu nesta quinta-feira (14), no Diário Oficial da União.

Publicidade
Publicidade

Os ministros exonerados são três da bancada peemedebista: Celso Pancera da pasta da Ciência e Tecnologia, Marcelo Castro da pasta da Saúde e Mauro Lopes da pasta da Aviação Civil. O outro ministro que também teve sua exoneração confirmada, foi Patrus Ananias (PT - MG) da pasta do Desenvolvimento Agrário.

Em um momento em que o governo vem perdendo importantes aliados diariamente, todo e qualquer voto contra o impeachment é bem vindo. 

Celso Pansera, já havia afirmado que os três Ministros do PMDB, que também foram eleitos deputados, retomariam seus mandatos na Câmara dos deputados, para votarem a favor de Dilma e contra o processo, mesmo depois da retirada do partido da base aliada de apoio a presidente.

No Diário Oficial da União, também está publicada a exoneração de Gilberto Occhi, ministro da Integração Nacional.

Publicidade

Contudo a saída de Occhi, acontece porque seu partido o PP, anunciou nesta semana que estava deixando a base aliada do governo federal.

Fogo cruzado

Seguindo os mesmos passos da presidência da República, o governador de São Paulo, Geraldo Alckimin, também exonerou seus secretários, que foram eleitos deputados federais em 2014, para votarem no domingo.

São eles: Samuel Moreira (PSDB), da Casa Civil, Floriano Pesaro (PSDB), do Desenvolvimento Social, Arnaldo Jardim (PPS), da Agricultura e Abastecimento e Rodrigo Garcia (DEM), da Habitação.

Além dos quatro deputados citados acima, também deixou a Secretária de Transportes e Logísticas, Antônio Duarte Nogueira (PSDB), acusado de participação na "Máfia da Merenda"

Os cinco deputados alegaram que votarão a favor do processo de impeachment. #Crise no Brasil