A falta de popularidade da presidente #Dilma Rousseff está tomando proporções mundiais. Isso porque uma pesquisa promovida pela revista norte-americana Fortune se propôs a elencar os líderes mundiais mais decepcionantes, e a mandatária brasileira se mantém em primeiro lugar com larga distância para o segundo colocado.

Ainda vivendo com a sombra do processo de #Impeachment, Dilma já contava com 239 mil votos até às 22h deste sábado (2), contra 13 mil do segundo colocado Rick Snyder, governador de Michigan, nos EUA, que teve envolvimento na crise da água contaminada na cidade de Flint. No terceiro lugar, aparece Joseph Blatter, ex-presidente da Fifa, e Michel Platini, ex-presidente da Uefa – pivôs dos casos de corrupção que abalaram o mundo do futebol no ano passado.

Publicidade
Publicidade

Ao descrever a biografia de Dilma, a revista lembra o passado da presidente como prisioneira na época do regime militar e reforça a possibilidade do processo de impeachment nos próximos meses. Fortune também cita a epidemia do zika vírus, a nomeação de Lula como ministro da pasta da Casa Civil e os problemas nas contas do governo, chamados de “pedaladas fiscais”.

Do lado oposto, quando se propôs a elencar os líderes positivos do mundo, a revista norte-americana apontou o juiz federal brasileiro Sérgio Moro como o 13° do ranking. Ele alcançou a respeitável posição em decorrência de sua liderança à frente da Operação Lava Jato, que investiga desvios na Petrobras e que tem movimentado o cenário político brasileiro na atualidade. #PT