A presidente #Dilma Rousseff lidera, com mais de 200 mil votos, a enquete da revista norte-americana Fortune para eleger o líder mundial mais decepcionante do mundo. A pesquisa está no ar no site da revista desde o dia 30 de março e, neste curto espaço de tempo, a presidente do Brasil já acumulou mais de 200 mil votos e tem enorme distância sobre o segundo colocado: o governador do estado de Michigan, nos Estados Unidos, que tem “apenas” 12 mil votos.

A presidente brasileira recebeu muitos votos depois que as redes sociais começaram a divulgar a enquete. Os críticos do governo da presidente, que já realizaram a maior manifestação do país pelo seu impeachment, começaram a votar no site da revista e contribuíram para o resultado.

Publicidade
Publicidade

Aparecem também com destaque na enquete o ex-presidente da FIFA, Joseph Blatter e seu aliado, o ex-jogador Michel Platini, ambos em terceiro lugar, com pouco mais de oito mil votos.

Clima de confronto

A maciça votação alcançada por Dilma na enquete é apenas um aspecto do clima que domina o país e tira a presidente do sério. Na quinta-feira, dia 31 de março, parecia que o governo estava com motivos para respirar um pouco mais aliviado. Afinal, o último dia de março foi marcado pelas manifestações contra o impeachment da presidente (ocorridas em 75 cidades distribuídas por todos os estados brasileiros), pelo apoio de artistas e intelectuais e pela decisão do Supremo Tribunal Federal que manteve, pelo menos por enquanto, o ex-presidente fora do alcance de Sérgio Moro. 

Mas o alívio durou pouco.

Publicidade

Logo depois do secretário de comunicação da presidência discursar pedindo o fim da intolerância política – que a oposição acusa o governo de promover – “antes que surja um cadáver”, o juiz Sérgio Moro detonou uma nova fase da operação Lava-Jato relacionando o assassinato do prefeito de Santo André, Celso Daniel, em 2002 aos escândalos que vem rondando as administrações do Partido dos Trabalhadores.

Semana tensa

E se essa semana foi tensa, a próxima promete muitas emoções. Espera-se a decisão do Supremo Tribunal Federal sobre um pedido de impeachment do vice-presidente, eleito na chapa com Dilma e apresentação da defesa da presidente na comissão de impeachment da Câmara. Além disso, novas revelações devem surgir como fruto dos interrogatórios e delações premiadas no âmbito da Lava-Jato. #Lava Jato