O currículo político é capaz de dar inveja a qualquer um. Aos 84 anos, Paulo Maluf olha para trás e se orgulha dos dois mandatos como prefeito de São Paulo e como governador do estado. No entanto, vê com certo desanimo o presente. Atual deputado federal pelo PP, ele reconhece que a rotina não o motiva mais.

"Ser deputado é bastante tranquilo. Trabalho terça, quarta e quinta pela metade do período. Eu faço de conta que estou trabalhando (...) Vou cumprir esse mandato (deputado federal, em SP) até 2018, quando terei 87 anos. Se eu estiver bem de saúde, nem será mais preciso dizer que concorro a deputado. Digo que sou candidato e já estou eleito", brincou Maluf, em entrevista à BBC Brasil.

Publicidade
Publicidade

Maluf foi criticado recentemente por ter faltado a 8 das 10 reuniões da Comissão Especial da Câmara dos Deputados responsável por julgar o #Impeachment de Dilma Rousseff. Mesmo com as ausências, ele demonstra ter posição clara. Na próxima segunda, deverá votar a favor da continuidade do impedimento da presidente.

Em um primeiro momento, Maluf mostrou-se contra o impeachment. Depois, adotou o discurso da neutralidade. Por fim, após uma divergência com o presidente Ciro Nogueira, do PP, admitiu que será a favor do processo. #Congresso Nacional