Manifestantes pró e contra o impeachment de #Dilma Rousseff já se organizam para irem às ruas no próximo domingo, 17 de abril, dia em que será realizada a votação oficial sobre o pedido de afastamento da presidente da República no plenário da Câmara dos Deputados.

As manifestações devem acontecer nos 26 estados brasileiros, mais o Distrito Federal. A expectativa é que todas as capitais federais, sobretudo, Brasília, tenham gente nas ruas, manifestando seu posicionamento contrário ou a favor do governo.

Por conta dessa grande expectativa de mobilização, a Polícia Militar já anunciou que vai aumentar o contingente de homens nas ruas para este domingo.

Publicidade
Publicidade

O objetivo, segundo a PM, é evitar que os grupos, pró e contra Dilma, se encontrem e acabem em confronto.

Em Salvador, por exemplo, uma das capitais do país onde já há a confirmação das manifestações, os dois grupos acabaram marcando o ato para o mesmo local, no caso, em frente ao Farol da Barra. Imediatamente, a Polícia Militar agiu e exigiu que o grupo a favor do #Impeachment escolhesse outro local, pois o grupo contrário já havia escolhido antes o bairro da Barra. O novo bairro escolhido foi o Jardim de Alah.

No Rio de Janeiro ocorreu algo semelhante. Ambos os grupos escolheram o bairro de Copacabana para se manifestar. Após uma série de negociação entre os organizadores, ficou decidido que os grupos realizarão seus respectivos atos no local escolhido, porém, em horários diferentes. Os contrários a queda de Dilma vão se manifestar pela manhã, enquanto os a favor da queda da presidente vão se manifestar pela tarde.

Publicidade

#Manifestação