Uma pesquisa realizada na tarde deste domingo, (17) sinalizou que o povo que luta a favor do processo de abertura do Impeachment contra a presidente Dilma, também não aceita ser conduzido pelo vice-presidente Michel Temer. 

Na tarde de ontem, em meio a manifestações e protestos contra e a favor do #Impeachment, o instituto de pesquisa Datafolha acompanhou a movimentação e decidiu registrar a aceitação do povo quanto ao mandato de Michel Temer. A pesquisa foi realizada em meio à Avenida Paulista, onde ocorria o protesto favorável ao impeachment de Dilma, registrando que 54% dos manifestantes também são favoráveis à anulação do mandato de Michel Temer.

Publicidade
Publicidade

O povo não acredita num mandato justo por parte de Temer, declarando que a gestão dele seria péssima para o país. Segundo o Datafolha, havia aproximadamente 250 mil pessoas na Avenida Paulista.

Pior ainda foi a reação dos protestantes no Anhangabaú, onde o índice de aceitação de Michel Temer é menos favorável ainda, 88% falaram que Temer seria um péssimo mandatário.

Conforme informação do Instituto Datafolha, em uma pesquisa realizada em meados de março deste ano, 35% acreditam que ser governado pelo PMDB seria um péssimo negócio, e outros 35% acreditam que seria um governo regular, sem muitas alterações, ou seja, sem mudanças concretas que ajudariam o crescimento do país.

Na pesquisa realizada ontem, das 15h às 22h, o Datafolha entrevistou cerca de 3.225 pessoas no total, nos dois locais onde havia maior concentração de manifestantes -  Avenida Paulista e Vale do Anhangabaú.

Publicidade

A margem de erro é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos.

O povo também concorda com a anulação do mandato de Eduardo Cunha

O povo brasileiro também vem clamando pela queda imediata de Eduardo Cunha, o presidente da Câmara dos Deputados, que comandou a abertura do processo de impeachment. Os protestantes acreditam no envolvimento dele com coisas ilícitas, achando justa a anulação do seu mandato. Tanto na Avenida Paulista, como no Anhangabaú a movimentação em torno disso foi bem grande, chegando a um percentual de 94% de eleitores que são favoráveis a sua cassação. #Dilma Rousseff #Crise-de-governo