O processo de impeachment para decidir o futuro da presidente Dilma Rousseff já foi iniciado, e nesta segunda-feira (11) o Palácio do Planalto perdeu a primeira batalha pela salvação do mandato da petista.

A Comissão Especial da Câmara dos Deputados aprovou por 38 votos a 27 o relatório que defende o processo de destituição da presidente da República.

Agora, com a primeira batalha encerrada, a ‘guerra’ terá mais integrantes em sua equipe, devido ao fato de que a discussão será encaminhada para o plenário da Câmara, onde todos os deputados têm direito ao voto.

A oposição, tenta conseguir o quanto antes 342 votos favoráveis para que o processo seja encaminhado até o Senado Federal.

Publicidade
Publicidade

VOTOS DOS DEPUTADOS

Confira os deputados que votaram hoje a favor do #Impeachment da presidente Dilma.

38 deputados votaram a favor e são eles: Alex Manente (PPS/SP), Benito Gama (PTB/BA), Bruno Covas (PSDB/SP), Carlos Sampaio (PSDB/SP), Danilo Forte (PSDB/CE), Eduardo Bolsonaro (PSC/SP), Elmar Nascimento (DEM/BA), Eros Biondini (PROS/MG), Evair de Melo (PV/ES), Fernando Coelho Filho (PSB/PE), Fernando Francischini (SD/PR), Jerônimo Goergen (PP/RS), Jovair Arantes (PTB/GO), Júlio Lopes (PP/RJ), Jutahy Junior (PSDB/BA), Leonardo Quintão (PMDB/MG), Lúcio Vieira Lima (PMDB/BA), Luiz Carlos Busato (PTB/RS), Marcelo Aro (PHS/MG), Marcelo Squassoni (PRB/SP), Marco Feliciano (PSC/SP), Marcos Montes (PSD/MG), Mauro Mariani (PMDB/SC), Mendonça Filho (DEM/PE), Nilson Leitão (PSDB/MT), Osmar Terra (PMDB/RS), Paulinho da Força (SD/SP), Paulo Abi-Ackel (PSDB/MG), Paulo Maluf (PP/SP), Rodrigo Maia (DEM/RJ), Rogério Rosso (PSD/DF), Ronaldo Fonseca (PROS/DF), Shéridan (PSFB/RR), Tadeu Alencar (PSB/PE), Bruno Araújo (sup.) (PSDB/CE), Laudivio Carvalho (sup) (SD/MG), Jhonatan de Jesus (PRB/RR), Weliton Prado (PMB/MG).

Publicidade

Já 27 votaram contra, são eles:

Aguinaldo Ribeiro (PP/PB), Arlindo Chinaglia (PT/SP), Chico Alencar (PSOL/RJ), Flavio Nogueira (PDT/PI), Henrique Fontana (PT/RS), Jandira Feghali (PCDOB/RJ), João Bacelar (PTN/BA), José Mentor (PT/SP), José Rocha (PR/BA), Leonardo Picciani (PMDB/RJ), Paulo Magalhães (PSD/BA), Paulo Teixeira (PT/SP), Pepe Vargas (PT/RS), Roberto Britto (PP/BA), Sílvio Costa (PTDOB/PE), Vicente Cândido (PT/SP), Vicentinho Júnior (PR/TO), Wadih Damous (PT/RJ), Weverton Rocha (PDT/MA), Zé Geraldo (PT/PA), Aliel Machado (REDE/PR), João Marcelo Souza (PMDB/MA), Benedita da Silva (sup. PT/RJ), Júnior Marreca (PEN/MA), Orlando Silva (sup.PCdoB/SP), Valtenir Pereira (PMDB/MT), Edio Lopes (PR/RR).

PROCESSO NO SENADO

Caso o impeachment de Dilma seja aprovado pelo plenário da Câmara, então o processo é enviado ao Senado. Se realmente for aprovado entre os senadores, Dilma será afastada por 180 dias e o vice Michel Temer (PMDB) assume o comando da presidência da República até que o resultado final seja proclamado. #Governo #Dilma Rousseff