Nesse domingo acontece um momento histórico: a câmara está votando o processo de impeachment. Caso dois terços dos deputados sejam favoráveis e votem sim, o processo seguirá adiante, indo para o Senado. Caso a maioria do Senado votar a favor, #Dilma Rousseff será afastada e Michel Temer, seu vice, assumirá o cargo.

Desde as últimas eleições, uma parcela da população se revoltou com a vitória da candidata do PT, que agora está em seu segundo mandato. Vários protestos tem ocorrido desde então, de pessoas pedindo o impeachment da presidente. Tais protestos ganharam proporções gigantescas, levando milhares de pessoas às ruas.

Publicidade
Publicidade

Protestos a favor também aconteceram. Dilma tem o apoio de grande parte da classe artística. Os protestos favoráveis à presidenta são mobilizados pela defesa da democracia, segundo seus manifestantes.

Na tarde desse domingo se iniciou a votação do impeachment na câmara, e até o momento, uma maioria é favorável a ele. Na última atualização, cerca de 272 deputados já haviam votado, sendo que 210 votos estavam a favor, e somente 59 estavam de contra, havendo 3 abstenções. O número de votos a favor até o momento é cerca de quatro vezes maior que o de favoráveis. Para que o processo siga adianta, dois terços dos votos são necessários, o que seria em torno de 342.

Nas redes sociais, é grande a mobilização. Em grupos nos Facebook, centenas de posts dominam. Em páginas de deputados, são milhares de comentários.

Publicidade

No Twitter, hashtag foram levantadas. Enquanto uns aguardam afoitos pelo resultados, muitos demonstram despreocupação, fazendo memes das situações que estão ocorrendo na Câmara.

Pelas ruas do país, alguns protestos também ocorrem, tanto favoráveis quanto contra a medida.

Comenta-se pela internet que caso o impeachment de Dilma ocorra, o PT pretende lutar por eleições gerais, não aceitando o governo de Temer.

O resultado final deve sair em alguns horas. Até o momento atual, pouco mais da metade dos deputados votaram. Partidos como DEM, PMDB, PP e PSDB votaram majoritariamente a favor, enquanto PT e PSOL foram majoritariamente contra. #Crise-de-governo