Jean Wyllys e a jornalista da globo, Leilane Neubarth, bateram boca no Twitter, na tarde desta quinta-feira (31), onde o deputado do PSOL começou a comentar sobre o possível "golpe" que estaria em curso no Brasil, conforme tem alegado o PT. O debate é de que Eduardo Cunha e Michel Temer estariam comandando o novo "golpe" no intuito de tirar Dilma Rousseff da presidência.

O deputado Jean Wyllys divulgou, na rede social, uma imagem convocando a todos aqueles que o seguiam a defender a democracia do Brasil, no dia 31 de março, protestando nas ruas e também nas redes sociais.

Foi aí que a jornalista da Globo resolveu deixar seu comentário na postagem feita pelo deputado do PSOl, e então o bate-boca começou e logo era grande a repercussão nas redes sociais.

Publicidade
Publicidade

Leilane Neubarth deixou, em sua mensagem, um comentário dizendo que comparar o golpe de 64 com 2016 seria o mesmo que comparar peixe com Saturno. Wyllys não gostou nem um pouco e foi logo acusando a jornalista global de querer dar um outro nome à atual realidade e ainda de "servir à postura", insinuando que este era também o posicionamento da Rede Globo de Televisão, empresa na qual ela trabalha.

O deputado chegou a postar uma mensagem dizendo que respeita a jornalista, mas que não poderia aceitar que ela negasse as evidências e quisesse dar um outro nome ao que está acontecendo, e que isso foi o que a Rede Globo fez no golpe de 64.

Ironicamente, a jornalista simplesmente respondeu: "Desculpe, mas achei que estávamos falando do Brasil."

Jean Wyllys não deixou por menos e mais uma vez respondeu dizendo que estávamos sim, falando do Brasil e completou: "Talvez pertençamos a ou queiramos Brasis diferentes, deve ser isso, amada."

Para completar, o deputado fez questão de publicar o pedido feito pela Rede Globo por ter apoiado o golpe de 1964.

Publicidade

Os usuários do Twitter foram entrando na discussão e o clima esquentou. Para não piorar a situação, a jornalista da Globo disse então que ela e o deputado eram amigos e pediu para os usuários não ficarem brigando por temas relacionados à política.

#Impeachment #Crise no Brasil #Protestos no Brasil