O deputado federal José Guimarães, líder do PT na Câmara, passou por uma situação inusitada nesta quinta-feira, dia 31, ao desembarcar no Aeroporto Internacional Pinto Martins, em Fortaleza. Um grupo de manifestantes contrários à Dilma e ao #PT abordaram o parlamentar quando este adentrou ao salão de desembarque. O episódio ocorreu por volta das 15 horas e chamou a atenção dos demais frequentadores do terminal. O episódio foi gravado por um dos integrantes do grupo de manifestantes que está disponível ao final deste artigo.

De acordo com o empresário Éder Holanda, um dos organizadores do movimento, o protesto foi organizado pelo Movimento "Até ela cair", que se posiciona contra a corrupção e a favor do #Impeachment de Dilma.

Publicidade
Publicidade

Aos gritos de palavras de ordem como "Fora PT", os integrantes cercaram o líder petista e o seguiram desde o portão de desembarque até o estacionamento do terminal.

Guimarães toma uma 'chuva' de dinheiro em pleno saguão do aeroporto

Durante a confusão que se seguia na ocasião, os manifestantes arremessaram várias notas de dinheiro contra o deputado, que tomou um verdadeira 'chuva' . O episódio foi embalado pelo gritos de 'fora cuecão, o seu dinheiro é da corrupção'. De acordo com Holanda, o grupo fez alusão ao episódio de 2005, quando um dos assessores de Guimarães, José Adalberto Vieira, foi flagrado no Aeroporto de Congonhas com US$ 100 mil escondidos dentro da cueca e com a quantia de R$ 209 mil dentro de uma mala. Desde então, o fato ficou conhecido como o escândalo dos dólares na cueca.

Publicidade

O Ministério Público afirma que as quantias eram frutos de propinas recebidas pelo deputado, por intermediar um empréstimo entre uma empresa de energia e o Banco do Nordeste do Brasil (BNB).  No ano de 2012, o parlamentar foi inocentado em relação ao caso pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Em nota, o deputado comentou o episódio e classificou os manifestantes de 'neofascistas'. Ele afirmou que o momento atual da política está marcado por atos de violência e de ódio para com aqueles que mantém um posição divergente dos demais. Guimarães se referiu aos recentes episódios de agressão sofridos pelo ministro do STF, Teori Zavascki e ao jornalista Juca Kfouri. O parlamentar disse que não ia se curvar diante das ameaças e ainda em relação aos manifestantes, declarou que "Enquanto alguns estavam no aeroporto para me agredir, milhares me esperavam na Praça do Dragão do Mar". O petista fez alusão ao ato de apoio à presidente Dilma que aconteceu em Fortaleza, neste mesmo dia.

#Dilma Rousseff